Casos de dengue em Guarulhos quase dobram no mês de janeiro

Lucy Tamborino

Seguindo a tendência nacional, os registros de dengue em Guarulhos aumentaram 75% no primeiro mês do ano. De 12 casos identificados em janeiro de 2018, neste ano os registros saltaram para 21, faltando apenas três casos para que o número dobrasse.

Os dados são da Secretaria da Saúde de Guarulhos. Ainda de acordo com os índices, até o momento foram confirmados 55 casos na cidade, sendo 51 contraídos no município e quatro em outras cidades. Já em todo 2018, os números apresentaram queda. Em 2017 foram registrados 391 casos de dengue, caindo em 2018 para 90 – representando quase 77% a menos.

A Secretaria de Saúde reforçou o trabalho de combate ao mosquito transmissor, Aedes aegypti. A medida foi realizada por meio de profissionais de Saúde, que visitaram casas, eliminando criadouros e orientado a população. Um vídeo com orientações para a população também foi produzido pela prefeitura e pode ser acessado nos canais oficiais do município no Facebook e no YouTube.

Nesse início de ano no Estado de São Paulo acontece uma nova epidemia de dengue. Entre o início do ano e o último dia 15, o número de casos confirmados saltou de 1,9 mil para 13,4 mil – alta de 605%, ante o mesmo período de 2018.

A nível nacional, o número de casos prováveis de dengue mais do que dobrou de um ano para outro. De acordo com o Ministério da Saúde, até o dia 2 de fevereiro, o aumento era de 149%, passando de 21.992 para 54.777 casos prováveis – uma incidência de 26,3 casos por 100 mil habitantes. Em todo o ano passado, em comparação com 2017, os casos passaram de 239.389 para 265.934, variando de uma taxa de incidência de 114,8 para cada 100 mil habitantes para 127,5.

O combate à dengue está entre as 10 prioridades da Organização Mundial de Saúde (OMS) para 2019. Estimativa da OMS aponta que 40% de todo o mundo está em risco de contrair o vírus da dengue, o que corresponde a cerca de 390 milhões de infecções por ano. A estratégia da organização para controlar a doença visa reduzir as mortes em 50% até 2020.

Imagem: Lucy Tamborino