Casais realizam prova de trajes para o Casamento Comunitário 2019

- PUBLICIDADE -
Corrida Folha Metropolitana

Da Redação

Os 100 casais inscritos para o Casamento Comunitário 2019 de Guarulhos iniciaram ontem, a prova de trajes (vestido de noiva, terno e vestido da daminha), na sede do Fundo Social de Solidariedade, no Gopoúva.  Promovida pela Prefeitura de Guarulhos, a festa de casamento, totalmente gratuita, será realizada no Nosso Clube Vila Galvão, em duas datas: a primeira no próximo dia 18 de agosto e segunda será definida.

Acompanhada da mãe, do avô, das sobrinhas e do noivo, Claudia Félix Ferreira, 22 anos, moradora da Vila Barros, compareceu para escolher o vestido que irá usar no matrimônio coletivo. Aliás, o Casamento Comunitário da Prefeitura não é novidade para a família, pois a irmã se casou na edição de 2017. “Foi tudo muito lindo no casamento dela. Fiquei de olho para ver quando abriria inscrição”, explicou a noiva.

 “Casar era um sonho. Pretendíamos nos casar quando fizéssemos um ano juntos, mas não deu, pois fiquei desempregada e outras prioridades apareceram”, afirmou a guarulhense que optou por um modelo “tomara que caia” para usar no matrimônio. Sua sobrinha, Maria Luisa, irá participar da cerimônia usando um vestido rosa que escolheu no Fundo Social.

O casal namorou por um curto período e foi morar sob o mesmo teto dois anos atrás. “A gente sempre tem desejo de casar, mas tem que arrumar a pessoa certa e ela é a tampa da minha panela”, disse o noivo de Claudia, Rodrigo Luiz da Silva, 33 anos, que trabalha em um estacionamento.

Rodrigo está inquieto para o casamento. “Gostei do meu terno. Me surpreendi com a roupa. Estou tão ansioso para casar que nem durmo, fico pensando em cada detalhe, em como vai ser tudo”, revelou o noivo.

A noiva Valdez Silva Santos, 24 anos, dona de casa, moradora do Recreio São Jorge e mãe de um casal, também escolheu um modelo “tomara que caia”. “Queria um vestido que marcasse o corpo, com cauda e branco com certeza,” disse Valdez. Ela vive há oito anos com o companheiro que conheceu  em uma festa junina em Alagoas. “Éramos os noivos da quadrilha e nos apaixonamos. Depois de dois anos namorando, fomos morar juntos e nos mudamos para Guarulhos”, acrescentou. 

Todos os procedimentos do Casamento Comunitário, como registro em cartório, empréstimos de trajes (noiva, noivo e daminha), buquê, penteado, maquiagem, buffet, decoração, DJ, música e cerimônia com bênção, são gratuitos para os participantes. Os dois cartórios de Registro Civil de Guarulhos estão marcando as datas dos casamentos e já confirmaram as de 38 casais.

 Imagem: Divulgação/PMG 

- PUBLICIDADE -