Câmara devolverá verba de R$ 3,2 milhões para a prefeitura repassar ao JJM

Da Redação

Após descartar o fechamento do Hospital e Maternidade Jesus, José e Maria (JJM), o prefeito Guti anunciou hoje que a verba extra pleiteada pela unidade para garantir os atendimentos virá da Câmara Municipal. Isso porque o Legislativo antecipará a devolução ao Executivo do duodécimo – montante mensal que a Casa de Leis recebe para custear suas despesas.

“Encontramos uma solução rápida e bem eficiente. Guarulhos tem problemas financeiros e todos sabem disso. Herdamos a cidade mais endividada do Estado de São Paulo. O presidente me garantiu que a Câmara conseguiu economizar e virá até a primeira semana de dezembro”, disse Guti acompanhado do presidente do conselho do JJM, Luís Roberto Mesquita; Ronaldo Sarto, presidente da unidade, além de vereadores e representantes do conselho de saúde da cidade. “Esta maternidade é apartidária e quer sempre fazer o melhor atendimento possível as pessoas que aqui precisam contar com os nossos serviços”, destacou Mesquita.

Com o repasse, que ainda depende de um projeto de lei a ser aprovado pela própria Câmara nos próximos dias, a instituição conseguirá arcar com os custos a mais apresentados à Prefeitura de Guarulhos uma semana atrás. Guti informou que o dinheiro deverá chegar ao JJM até o próximo dia 10 de dezembro. 

“O mais importante é o JJM não fechará. É a união da força de todos nós como o prefeito e os vereadores, mostrando que juntos somos mais fortes. A população de Guarulhos merece e o JJM faz um trabalho de excelência”, destacou o presidente da Câmara, Professor Jesus.

O fechamento do hospital foi anunciado através de uma carta aberta a população que aponta um déficit financeiro na unidade. Anualmente o JJM recebe R$ 55 milhões de verba pública, sendo R$ 30 milhões da prefeitura. O restante refere-se a repasse custeado pela tabela do Sistema Único de Saúde (SUS), vinculado ao Ministério da Saúde.

A atual gestão aumentou em 67% o valor anual destinado à instituição, o que equivale a R$ 12 milhões a mais por ano. Ou seja, o repasse anual da subvenção que em 2016 era de R$ 18 milhões, passou a ser de R$ 30 milhões. Além disso, a atual gestão vem se empenhando para buscar mais verba junto aos governos estadual e federal, através de emendas parlamentares, porque reconhece os bons serviços prestados pelo hospital. O pedido de recurso extra foi aprovado, mas somente poderá ser incluído para o orçamento de 2020.

Imagem: Lucy Tamborino