Câmara de Guarulhos apresenta sua previsão orçamentária para 2021

A Câmara de Guarulhos apresentou, na tarde desta quarta-feira (17), audiência pública referente à Lei de Diretrizes Orçamentárias para o próximo ano (LDO 2021). O encontro foi presidido pelo vereador João Dárcio Ribamar Sacchi (Podemos) e transmitido pela TV Câmara Guarulhos e suas redes sociais, o Facebook e o YouTube. Com isso, diversos vereadores puderam interagir com questionamentos e comentários. Participaram em nome da Casa o secretário da Chefia de Gabinete Thiago Neves e o Secretário de Administração Cesar Aparecido Samsoniuk.

Os números previstos pela Câmara foram apresentados pelo diretor de Assuntos Financeiros Ronaldo Braga Serem. Segundo ele, para 2021 a Câmara deve ter R$ 143.589.535,00 para seus projetos e compromissos. Deste total, R$ 90.915.000,00 referem-se à folha de pagamento (63,32%). O restante é dividido em encargos e benefícios, exonerações, serviços de terceiros, equipamentos e materiais permanente e de consumo, pensionistas e despesas correntes.

O orçamento prevê ainda R$ 8 milhões referentes à construção da nova Sede. Sobre isso, o secretário Cesar Samsoniuk comentou: “Planejamos mudar para a nova casa em dezembro, ou seja, os aluguéis que pagamos hoje, da ordem de 8 milhões por ano, deixarão de existir em 2021”, afirmou. “Em três anos, todo o investimento com a construção será igualado com a economia que faremos”, avaliou. Vale lembrar que os aluguéis correspondem hoje a 43% do total de todos os contratos vigentes.

Questionado por vereadores sobre o corte este ano nas despesas com selos e serviços de correio e que poderia interferir no trabalho parlamentar, Thiago Neves explicou: “Temos um grupo de servidores na Casa que estuda meios de se economizar sem que haja prejuízo às atividades da Câmara” contou. “O presidente Professor Jesus determinou por Ato da Mesa que houvesse redução nos gastos com correios, selos e combustível, mas no ano que vem isso pode mudar, depende dos estudos deste grupo e da situação de nossas finanças”, acrescentou o secretário.