Câmara abre CEI para investigar Zeitune por suposta extorsão

Por Rômulo Magalhães

A Câmara Municipal instaurou uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) ontem para investigar uma suposta extorsão do pré-candidato ao Governo do Estado de São Paulo e atual vice-prefeito de Guarulhos Alexandre Zeitune (Rede). O vereador Marcelo Seminaldo (PT) recebeu um pen drive com áudios em que Zeitune supostamente estaria pedindo R$ 12 milhões a um empresário para financiamento de sua campanha e de Marina Silva (Rede) para governador do estado e presidência, respectivamente.

Dos 34 vereadores do Legislativo, 33 assinaram a abertura da CEI. Apenas Rômulo Ornelas (PT) não assinou o requerimento porque não compareceu à sessão por motivo de falecimento do seu pai.

De acordo com Seminaldo, os áudios recebidos denotam conversas em dias distintos. “São várias conversas e várias razões para a abertura da CEI. Há um momento que se pede dinheiro para campanha de Marina Silva e para Zeitune. Mas não fica claro em troca do que”, disse o vereador. Ele ainda citou que no áudio citam-se R$ 7 milhões para Zeitune e R$ 5 milhões para Marina.

Nas próximas sessões, os partidos começarão a indicar os membros para fazerem parte da comissão e, deste modo, marcarem a primeira reunião. A CEI será realizada em até 90 dias, com possibilidade de prorrogação do prazo por mais 30 dia. Seminaldo será o presidente e conduzirá os trabalhos.

Em nota, a Rede Sustentabilidade informou que o vice-prefeito vem sofrendo perseguição política desde sua saída da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secel). “Diante a abertura da Comissão Especial de Inquérito, informa que apoia todas as investigações e acredita que o Legislativo cumprirá seu papel na apuração das denúncias, pois Zeitune irá fazer todos os esclarecimentos necessários por não ter nada a temer”, diz nota.

CGM também apura denúncias referente ao período em que Zeitune esteve no comando da Secel

Em nota oficial divulgada ontem, a Prefeitura de Guarulhos informou que a Controladoria Geral do Município (CGM) abriu 10 sindicâncias para apurar denúncias que envolvem o período em que Zeitune esteve à frente da Secretaria de Educação, Cultura, Esportes e Lazer (Secel). Destas, cinco apuram irregularidades que podem ser consideradas graves. Há ainda 12 processos em análise para instauração.

O Executivo informou que “apoia todas as investigações e que o Legislativo cumpre seu papel de apurar os atos cometidos pelos agentes públicos. A administração municipal reitera ainda que é contra qualquer tipo de ilicitude e que colocará à disposição todas as informações necessárias para os andamentos dos trabalhos de investigação”.

A prefeitura destacou, ainda, que Zeitune foi exonerado do cargo de secretário em 29 de setembro de 2017 e “desde então não exerce qualquer função na Prefeitura de Guarulhos”.

Foto: Rômulo Magalhães