Bombeiros retiram mais de mil toneladas de escombros do prédio que desabou

cadela Vasty identificou um sinal de vítima no setor 1. As equipes do BREC (Buscas e Resgate em Estruturas Colapsadas) investiram no local e de forma manual na retirada dos escombros as equipes do 2°GB encontraram a primeira vítima fatal.Foto @BombeirosPMESP

Continua intenso o trabalho do Corpo de Bombeiros para a retirada dos escombros do Edifício Wilton Paes de Almeida, que desabou na última terça-feira (01), no Largo do Paissandu. Segundo o capitão Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros, mais de mil toneladas de entulho foram retiradas do local. “Em média são retiradas 250 toneladas de entulho por dia”, aponta.

Na manhã de ontem, a equipe da corporação contava com 49 homens, com duas frentes de trabalho. Durante a madrugada o efetivo contava com 37. As equipes se revezam em turnos de 12 horas e, neste período, existe também a troca entre os bombeiros no local. Segundo o Tenente do Corpo de Bombeiros, André Elias, os números permanecem inalterados. “Continuam as buscas pelas cinco vítimas que não foram localizadas”.

De acordo com Elias as equipes continuam no combate ao incêndio e nas buscas e resgates em estruturas colapsadas. “A maior ênfase agora é com o trabalho das máquinas. Um trabalho um pouco mais ágil, monitorado pelas equipes”, explicou o porta-voz do Corpo de Bombeiros.