Banco de Sangue que abastece Guarulhos permanece em estado crítico

O evento Rolezinho no Hemorio, convoca pelas redes sociais a população a doar 450 litros de sangue, como parte das atividades de comemoração aos 450 anos da cidade.(Fernando Frazão/Agência Brasil)

Lucy Tamborino

A Fundação Pró-Sangue responsável pela coleta e distribuição de sangue em Guarulhos permanece com os tipos O+, O- e B- em estado crítico deste o início do ano. A fundação classifica os estoques em três níveis: estável, alerta e, por último, crítico, o pior de todos os indicadores.

Os dados demonstram um cenário preocupante, já que os hemocentros da fundação são responsáveis por abastecer, incluindo Guarulhos, mais de 100 hospitais da rede pública. De janeiro para fevereiro acorreu apenas uma sensível melhora, o tipo A- saiu de crítico para alerta, nível intermediário na escala.

A falta do estoque de sangue em um hospital pode levar ao cancelamento de cirurgias e de procedimentos e, em casos mais críticos, ser responsável pela morte do paciente. Um exemplo é quando a pessoa faz quimioterapia, caso não seja possível realizar transfusão, está pode não resistir ao tratamento.

Uma bolsa de sangue pode salvar até quatro vidas e para doar é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar mais 50 kg e estar em boas condições de saúde. A relação de endereço de hemocentros pode ser conferida no site da Fundação Pró-Sangue, há unidades que funcionam aos sábados.

De acordo com a administração municipal, ter um banco de sangue em Guarulhos não é uma demanda prioritária da Saúde. A pasta explica que as agências transfusionais que atendem ao município dão conta da demanda e menciona que a instalação de um banco de sangue na cidade requer investimento tecnológico e financeiro muito alto, o que não seria viável no momento.

Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil