Araras, o novo MIT revela sua história

Da Redação

Imagine aproveitar um ambiente histórico com diversos casarões construídos entre o século XIX e XX, que valoriza a cultura que o Estado de São Paulo possui. Há 170 km da capital, o município de Araras mostra sua força no turismo, demonstrando que o segmento é importante para região, uma vez que a cidade integra o time de MITs (Município de Interesse Turístico).

Araras tem como cartão postal o Parque Municipal – Fábio da Silva Prado, mais conhecido como Lago Municipal, ocupando uma área de 89 mil m² localizado na região central da cidade, oferecendo ao turista uma paisagem verde com diversas áreas para atividade, entre elas: ciclovia, pedalinhos, parquinho; além de fornecer uma estrutura para aproveitar a gastronomia da região, tendo um restaurante e choperia no espaço.

A cidade reforça a história do Estado de São Paulo, por meio da Casa da Cultura – Emílio Silvestre Wolff, construída na República Velha, em 1896, o prédio em que já funcionou o Fórum Municipal, Cadeia Pública e Câmara Legislativa, em que hoje oferece a população aulas de instrumentos musicais, coral, fotografia, e exposições de artistas locais.

Outro ambiente que perpetua a cultura da região é a Casa da Memória – Pedro Pessotto Filho, construída em 1926. Um espaço que reúne os principais ícones na construção e formação de Araras. Além disso, ao lado, tem o Casarão do Artesão, levantado no início do século XIX para hospedar imigrantes italianos que chegavam para trabalhar nas fazendas de café.

O município faz parte também da rota “Trilhos e Trilhas da Baixa Mogiana” em conjunto com 12 municípios.

Esse envolvimento com a história do Estado de São Paulo (e do Brasil) demonstra a força que a cidade de Araras tem no desenvolvimento do turismo, e por conta disso o município une força com a Secretaria de Turismo ao ingressar no time de MITs, podendo pleitear projetos de infraestrutura turística no valor de 600 mil reais por ano.

Foto: Governo do Estado de São Paulo