Aquário de São Paulo usa fototerapia em benefício dos animais

A fototerapia também chegou à medicina veterinária para trazer mais benefícios à saúde dos animais, como diminuir edemas e melhorar o processo de cicatrização. O Aquário de São Paulo é um dos locais que está se beneficiando desse recurso para melhorar a qualidade de vida e saúde dos seus animais, de pequeno e grande porte, assim como de espécies marinhas, que passam a ter acesso a diferentes tratamentos na rotina clínica.

A parceria, firmada com a Ecco Fibras, empresa especializada em pesquisa, fabricação e distribuição de equipamentos de Laser e LED terapêuticos, visa proporcionar alívio da dor e melhorar a imunidade dos animais, segundo o gerente científico da marca, Lucas Sousa. “Os animais estão recebendo tratamentos diversificados e, também, estamos avançando em pesquisas na área de medicina veterinária”, comenta. 

Com diversas aplicações, a fototerapia nos animais traz três tipos de luzes para ajudar na veterinária, como: 

Luz azul: ação antibactericida e fungicida. Seu objetivo é promover hidratação e limpeza dos tecidos, além de trazer infecções e trazer mais brilho ao pelo dos animais. 

Luz vermelha: atua em processos inflamatórios na regeneração dos tecidos e na acupuntura veterinária não invasiva, conhecida como laserpuntura. “Muitos animais já estão habituados com o manejo veterinário, mas a acupuntura tradicional não se aplica em alguns casos. Por isso, a laserpuntura vem como alternativa”, explica a profissional responsável pelo Departamento Veterinário do Aquário de São Paulo, Dra. Laura Reisfeld. 

Luz infravermelha: Tem função analgésica e atua na drenagem linfática e de edemas. Possui efeito anti-inflamatório e aumenta em até 40% a absorção de produtos e fármacos. “Um de seus benefícios é a bioestimulação profunda (regeneração de ossos, nervos, cartilagens e etc.), além de também e realizar acupuntura veterinária não invasiva”, ressalta Lucas Sousa.

“Gostamos muito do led azul, em conjunto com o laser vermelho e infravermelho. A resposta ao tratamento tem sido excelente e rápida, algo influenciado pelo aplicador cluster. O instrumento é muito interessante para os animais, especialmente para os de grande porte, em que o tempo da sessão é otimizado pela grande área de emissão”, afirma Dra. Laura Reisfeld. 

Atualmente, no Aquário de São Paulo, animais como peixes, raia, tubarão e lobo marinho estão recebendo o tratamento com fototerapia. “Foca, bugio, lêmure, pinguim, peixe-boi, jacarés, jiboia, lontra, dragão barbado, tigre d’água, jabuti e morcego estão na lista de outros bichos que se beneficiam do tratamento clínico com laser e led”, segundo Reisfeld.