Aos 81 anos, aluno inicia sua quarta graduação no Centro Universitário Eniac

Mesmo diante das dificuldades geradas pela pandemia de coronavírus, e das restrições naturais de uma pessoa com 81 anos, o senhor Hugo Iaccino nem pensa em parar de estudar. Muito pelo contrário! Formado em Engenharia Civil e, recentemente, em Arquitetura pelo Centro Universitário ENIAC, Iaccino – que já tinha graduação em Engenharia Mecânica por outra faculdade – iniciou seu quarto curso de graduação, o terceiro na instituição guarulhense: Engenharia Elétrica.

“Conhecimento é tudo nesta vida. Não dá para deixar de aprender e perseguir seus sonhos. Nunca!”, destacou o senhor Hugo. De acordo com sua neta Amanda Iaccino, que o auxilia nos estudos, seu avô sempre gostou muito de exercitar a mente.

“Em casa há um quarto só para livros. Ele cuida deles com todo o carinho do mundo. Sempre foi ativo e só parou de trabalhar por causa da pandemia”, disse Amanda.

Amante dos estudos, o senhor Hugo se formou em Arquitetura no último mês de dezembro, já em um cenário pandêmico. O seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) foi marcado por uma bela fala sobre a importância da habitação de interesse social.

“A pandemia foi um desafio para ele, que ainda estava aprendendo a usar os programas básicos no computador. No começo foi difícil para entender o formato das aulas virtuais, mas ele se adaptou e, hoje, assiste às aulas e faz os exercícios online de olhos fechados”, afirmou Amanda, que completou: “A paixão dele ainda é ir à faculdade e ter esse contato com outros estudantes e mestres. Ficou todo feliz quando tomou a primeira dose da vacina. Pediu para tirar foto e enviar a todos os professores”.

Mantenedor do ENIAC, o professor Ruy Guérios afirmou que sente muito orgulho ao ver o exemplo de Iaccino. Ele também ressaltou que a instituição tem grande satisfação em colaborar com os estudos de um senhor tão apaixonado por conhecimento.

“Hugo é um exemplo para todos. Sejam jovens, idosos, professores ou alunos. O ENIAC é, de fato, uma instituição para todos. Não importa a idade ou a condição social. Basta a pessoa querer aprender e ela encontrará o seu lugar em nosso grupo. Inclusive, mesmo em um momento tão delicado, a nossa estrutura tecnológica permite que as pessoas assistam às aulas em casa. Presencialmente, tomamos todos os cuidados necessários em nosso campus”, completou Ruy.