Amor na base de tudo. Carinho em cima de todos – Roberto Samuel

A família é um colo que toda criança deveria ter. Ela foi criada para ser a extensão do ventre materno. Ali careceria de ter segurança, amor, carinho, comida, canções de ninar e pais com tempo de ler histórias para os pequenos na hora de elas dormirem. Não há nada mais gostoso do que os filhos invadindo o quarto dos pais em um dia frio de domingo e iniciar um furdunço danado, pulando em cima da cama em uma algazarra enlouquecedora. Depois, eles pouco a pouco vão se aconchegando embaixo das asas dos pais e dormem por mais algum tempo.

Esse alicerce, se bem construído, dará suporte para quando for adulto enfrentar as intempéries da vida: desemprego, desamor, raiva, mágoas, traições. Também o sujeito saberá valorizar cada pequeno ato de bondade, cada carinho, cada sorriso, cada reconhecimento, cada vitória. Saberá dividir o copo de água com quem tem sede, cederá o lugar para já caminhou mais e sente o peso dos anos, verá beleza em cada ruga da velha senhora, que já deu seu quinhão para pavimentar a estrada desta geração. Se alimentará da boa energia trocada em cada ato de compaixão, em cada ato de desapego. E quando o desespero bater, a dor aumentar e a vontade de sumir aparecer, as lembranças doces da família será o melhor refúgio, o remédio e conforto.

Quem nunca presenciou o amor em ação, não crê em sua existência; às vezes acreditam mais na existência de extraterreste. Uma mente sem bons exemplos e sem lembranças de carinho, pode achar normal bater na pessoa amada até matá-la. Existem contradição maior do que assassinar a pessoa que se ama, do que roubar o futuro das crianças?  O Estado, os governos federal, estaduais e municipais podem e devem auxiliar na construção de um mundo melhor: propagando bons livros, dando boa educação e principalmente botando na cadeia corruptos que desviam dinheiro público.

A quantidade de atos violentos registrados mostra que estamos doentes, precisando de ajuda. Vendemos veneno, incentivamos a violência em troca de dinheiro. Acreditamos que o lixo jogado nas ruas e rios nunca nos alcançará, até o dia que ele bate à nossa porta em forma de violência ou doença. E nessa hora o dinheiro ganho com diamantes de sangue não nos salvará. O carinho de mãe e da família pode não consertar todos os maus-caracteres do mundo, mas com certeza, a quantidade deles seria bem menor. E não esqueça! O desamor, a violência, o egoísmo não são privilégios dos menos afortunados financeiramente. Algumas autoridades parecem que não receberam amor o suficiente quando eram crianças.

A violência não é apenas o ato físico em si. Ela pode ser indireta, por exemplo: quando um deputado, senador ou vereador gasta o dinheiro público indevidamente ele pode estar matando alguém que não recebeu o remédio, pois o dinheiro foi desviado por algum anticristo. Saiba de uma coisa: toda vez que o dinheiro que poderia ser utilizado para a educação, saúde, infraestrutura da cidade for gasto indevidamente, Deus estará vendo e dele você não conseguirá fugir. Todos são filhos do Altíssimo e não apenas alguns. Ter o nome de uns dos discípulos ou do próprio Cristo pode não te ajudar muito na hora do julgamento perante a Deus e ao Ministério Público. Neste dia nem as asas de sua mãe te protegerá.