Agradecer é, antes de tudo, um ato de Amor





Isoladamente, nós pouco podemos fazer de edificante. Seremos tão importantes, nesta vida, quanto a nossa capacidade em percebermos o inestimável valor das outras pessoas. O líder verdadeiro entende que os seus colaboradores são seres especiais, detentores de imensa determinação em aprender e evoluir. Aquele que, lamentavelmente, tem a ilusão de que ele é a figura principal da história, já deu o primeiro passo no sentido de perder o posto.

Quando encontramos algo de positivo em um de nossos semelhantes, nós devemos elogiá-lo – sem hesitação. O elogio sincero tem o poder de alterar para melhor as energias existentes no local. Se você trabalha com público, faça este teste: comece a apontar as virtudes das pessoas a sua volta. A consequência será uma deliciosa mudança em sua vida. Os resultados não tardarão a manifestar-se amplamente.

Nós devemos agradecer sempre que nos prestarem um serviço; profissional ou não, remunerado ou voluntário, cordialmente ou longe disso. Mesmo no mundo materialista em que nós vivemos, o que faz a diferença é o sorriso, a atenção, o carinho e o reconhecimento dedicado a outrem.

Suponha que você foi ao supermercado e um menino se ofereceu para levar as suas compras até o carro. O objetivo do jovem é trabalhar e, com isso, obter ganho monetário – claro! No entanto, se você simplesmente der a ele uma moeda e não agradecer, nem sorrir, certamente ele não se sentirá confortável, pois terá percebido que o gesto foi penosamente forçado. Ou seja, não foi espontâneo; ato falho, portanto.

Outra situação hipotética. Você vai comprar pães para o lanche da tarde em família. Na padaria você pede o produto para a atendente, que lhe abre contagiante sorriso. Para que os itens estivessem disponíveis muitas pessoas trabalharam com afinco, por várias horas seguidas, para que naquele exato momento, você entrasse no estabelecimento e encontrasse o que tanto desejava. O sincero agradecimento aos profissionais e a consciência tranquila de ter cumprido o dever enobrecem o momento. Faça isso. Você irá sentir-se bem melhor porque todos nós adoramos a doce sensação de sermos bem tratados. Não há exceção a esta regra.

Causa-nos forte emoção e imenso prazer ouvirmos as expressões mágicas ‘com licença’, ‘por gentileza’ e ‘muito obrigado (a)’. São palavras sagradas, fortemente envolvidas por significativa vibração, capazes de provocar verdadeiros milagres. Fazem bem para quem ouve; valorizam a existência de quem faz o bom uso da comunicação. “No Princípio, era o Verbo…”.


José Augusto Pinheiro, 57, é jornalista guarulhense, palestrante, mestre de cerimônias, coach e orador da Academia Guarulhense de Letras; é o autor do livro “Dia após Dia, Disciplina e Gratidão”.