Aeroporto de Guarulhos está com as contas em dia

Lucy Tamborino

Ao contrário de outros terminais do Brasil, o GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, não possui valores de outorgas ou multas em atraso. O terminal hoje é administrado por uma concessionária que detém a maior parcela do local.  

Até março do ano passado, o terminal garantiu ao governo federal uma arrecadação de R$ 7,3 bilhões em outorgas desde 2013, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Os valores foram pagos pela concessionária responsável pela administração.

O montante é resultado de R$ 5,8 bilhões de outorga fixa, mais de R$ 900 mil de variáveis e quase R$ 570 milhões mensal. Só no ano passado já tinham sido pagos mais de R$ 66 milhões de outorgas mensais ao governo federal.

O terminal foi concedido à iniciativa privada em julho de 2012, sendo o maior aeroporto da América Latina. Em 2018 o terminal bateu recorde histórico desde a concessão, sendo responsável por 42 milhões de voos entre pousos e decolagens. Um aumento de mais de 10 milhões desde 2011. No primeiro ano da concessão, em 2012, o aeroporto recebeu quase três milhões a mais de passageiros em relação ao ano anterior, saindo de 30 milhões e alcançando 32,7 milhões.

Imagem: Mayara Nascimento