Ações da ACE-Guarulhos visam proteger a saúde pública e, também, a vida das empresas

Silvio Alves
presidente da Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos

Em aproximadamente três meses, a pandemia do novo coronavírus já deixou quase 20 mil mortos em todo o mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). É um número bastante preocupante e que mostra a importância de tomarmos atitudes para preservar a saúde de todos.

Há quase seis décadas, a ACE-Guarulhos defende os interesses do setor produtivo e, como consequência, de toda população guarulhense, já que uma economia sadia e ativa gera emprego, renda e qualidade de vida. A minha missão, como presidente desta entidade, é, portanto, encontrar soluções para amenizar os efeitos negativos desta crise pela qual estamos passando, sempre junto com os diretores e colaboradores da Associação.

Diante deste cenário, temos realizado algumas ações que já se mostraram eficazes, tanto em relação à saúde como no que diz respeito à economia do município e à preservação dos empregos. 

Uma das medidas tomadas por nossa entidade, em parceria com o Ciesp-Guarulhos, foi abrir uma pesquisa online sobre os impactos da pandemia na atividade econômica das empresas d cidade. Com os números deste levantamento em mãos, podemos agir de maneira mais assertiva para evitar falências durante a crise. 

Ainda neste sentido, tivemos uma reunião com a Prefeitura para manter um diálogo em relação ao decreto que fechou grande parte do comércio. Acreditamos que ao ter uma voz ativa junto ao poder público, podemos discutir ações que não prejudiquem a saúde da sociedade e que, ao mesmo tempo, mantenham a atividade econômica de Guarulhos com o menor impacto negativo possível. Neste diálogo, protocolamos oficialmente o pedido de suspensão de recolhimento de impostos municipais.

Fomos, ao lado do Sincomércio, ao encontro do comando do 15º Batalhão de Polícia Militar para solicitar o reforço de segurança em áreas comerciais, com o objetivo de impedir furtos e arrombamentos de lojas, relatados por empresários nos primeiros dias de ruas vazias.

A entidade também solicitou a duas cooperativas bancárias, o Sicred e Sicoob Metropolitano, a prorrogação dos vencimentos das dívidas dos micro e pequenos empresários, além de linhas de crédito mais vantajosas aos empreendedores neste momento tão difícil. 

Sempre seguindo as recomendações das autoridades no combate à proliferação do
coronavírus, baixamos as portas da nossa sede sem, porém, deixar o associado e o público em geral sem atendimento. Nossos colaboradores seguem trabalhando no sistema home office e fazendo os atendimentos de forma remota.

Por fim, entregamos um documento, assinado em conjunto com o Sincomércio e a Associação das Empresas Contábeis de Guarulhos, propondo à Prefeitura a reabertura do comércio a partir do dia 6 de abril, desde que algumas condições sejam obedecidas, como: o número de casos confirmados de Covid-19 esteja estabilizado; haja controle de circulação de pessoas para evitar aglomeração; haja orientação para que apenas uma pessoa de cada família frequente os comércios; seja impedida a circulação de pessoas de grupos de risco, como aquelas com mais de 60 anos; além de estabelecer medidas de higiene e prevenção.

Com estas ações, a ACE-Guarulhos demonstra que zela por todos neste momento tão complicado: as pessoas e as empresas. É hora de somar esforços para vencermos o vírus e todos os seus efeitos negativos, sejam eles nocivos à saúde ou à economia. Sem politizar o tema, pois não dá para preservar apenas o CPF ou somente o CNPJ. O momento exige equilíbrio e atitudes positivas.