A sempre discreta e encantadora beleza interior

Faz muito bem aos olhos e ao coração nós observarmos um rosto bonito presente nas redes sociais ou, ainda, quando passa a nossa frente. Ficamos encantados com tamanha beleza natural a ponto de acreditarmos, firmemente, que aquela pessoa é plenamente feliz com isso. Será mesmo?

Na verdade, a pessoa fisicamente bela carrega consigo o imenso desafio de ser, interiormente, tão atraente quanto imaginam que ela seja. Ela jamais saberá imediatamente se os outros estão se aproximando dela por amizade sincera. Vai consumir tempo e energia até compreender os motivos do nosso Criador ao fazê-la bonita, enquanto a maioria apresenta traços comuns.

Porém, em pouco tempo, a pessoa atraente percebe que a sua forma de agir, os seus pensamentos e esforços para evoluir como ser vivente são infinitamente mais importantes do que os belos traços que a mãe-natureza lhe concedeu.

O que dá direito a uma pessoa de ser chamada de linda? O que a define? Quantas nessa categoria cumprimentam você com um alegre bom dia? Quantas sorriem enquanto estão caminhando pela rua ou durante os diálogos? Quem não mede esforços para ajudar o semelhante, com uma palavra ou simplesmente prestando atenção especial a quem dela tanto necessita?

A verdadeira beleza é conquistada no dia a dia. É um gesto de cortesia aqui, um momento de tolerância ali, um sorriso sincero acolá. Atenção: não esperar recompensas por quaisquer atos de altruísmo. O que quer que nós façamos, sozinhos ou no meio da multidão, somente um ponto de vista terá importância: o nosso. Trata-se da visão interior.

Problemas nos campos amoroso, profissional, familiar e físico nos abatem sensivelmente. Quem estiver a nossa volta irá perceber a diferença. É maravilhoso quando dispomos de algum amigo que esteja disposto a sentar-se ao nosso lado e nos ouvir com atenção. Todos nós precisamos deste carinho fraterno.

Caso você não tenha por perto alguém em quem confiar para compartilhar os seus sentimentos mais íntimos: a ) respire profundamente; b) tome um copo d’água, lentamente; c) pegue papel e caneta; d) escreva tudo que está ferindo o seu coração; e) desabafe, escrevendo o que quiser; lave a alma; f) agora, com o emocional mais leve, cuidadosamente queime a folha de papel.

Pronto! Você está em condições de recomeçar. A sua maneira de encarar a vida vai melhorando a cada novo exercício. Até que, de repente, você perceberá que para manter-se belo por dentro e por fora precisará apenas dos dois primeiros passos: respirar e beber água. Par a completar, o indispensável: faça tudo com Amor.

José Augusto Pinheiro, 57, é jornalista guarulhense, palestrante, mestre de cerimônias, escritor e orador da Academia Guarulhense de Letras; é autor do livro “Dia após Dia, Disciplina e Gratidão”.