A busca pelo Hexa: como a seleção brasileira chega à Copa

Pedro Lacerda

Maior campeã de Copas do Mundo com cinco títulos, a seleção brasileira de futebol inicia neste domingo (17), a busca pelo tão sonhado hexacampeonato mundial. A última conquista do Brasil foi há 16 anos, quando venceu a final por 2 x 0 contra a Alemanha em 2002, com dois gols de Ronaldo, na Copa sediada na Coreia do Sul/Japão.

Ao contrário do que muitos críticos imaginavam, até mesmo em virtude do fracasso da Copa de 2014 e do fatídico 7 x 1 para os alemães em pleno solo brasileiro, o técnico Tite deu uma nova cara à seleção: resgatou craques como os meias Phillipe Coutinho, Renato Augusto, Paulinho e Casemiro, além de ter projetado artilheiros como Willian, Firmino e Gabriel Jesus, sem contar, claro, com a principal estrela brasileira: Neymar Jr.

Após assumir o comando técnico do Brasil, Tite espantou a insegurança instaurada em cima do elenco brasileiro com passagens contestáveis dos técnicos Felipão, Mano Menezes e, sobretudo Dunga. Alcançando feitos e marcas históricas (84% de aproveitamento em 21 jogos, melhor campanha desde 1970), o experiente treinador busca com esta seleção jovial, o estopim da maior competição de seleções do planeta.

Nem mesmo o corte do lateral direito Daniel Alves às vésperas do torneio, em virtude de uma lesão parece preocupar os torcedores, até porque a seleção conta com jogadores como o lateral esquerdo Marcelo, os zagueiros Miranda, Thiago Silva e Marquinhos, o goleiro Alisson, além dos craques acima citados. Muito aquém dos nomes que compõem a lista de convocados para a Copa, outro fator é decisivo para credenciar o Brasil como um dos grandes favoritos ao título: o desempenho atrelado ao padrão de jogo.

Desde os tempos de Corinthians, o técnico Tite demonstra um apetite por conhecimento tático e técnico, além de sua liderança e forte engajamento com os atletas, até por isso o time apresenta números interessantes, gols em muitas jogadas de poucos toques e bastante movimentação, contando com a forte marcação e poucos gols sofridos pela defesa brasileira.

Prepare suas vuvuzelas, bandeiras e principalmente a garganta, o Brasil fará sua estreia neste domingo contra a Suíça, às 15h, em Rostov do Don, na Arena Rostov.

Foto: Divulgação/Fotos Públicas