51 alunos e funcionários de escolas estaduais tiveram covid-19 desde a reabertura

Vinte cinco alunos e 26 profissionais de ensino da rede estadual paulista foram infectados pela covid-19 desde o dia 15 de outubro, uma semana depois que as escolas tiveram aval para voltar a dar aulas regulares em boa parte das cidades paulistas. Os exames realizados, do tipo RT-PCR, detectam a infecção ativa no organismo e, portanto, captam o momento em que a pessoa infectada pode transmitir o vírus aos demais.

O inquérito epidemiológico está sendo realizado para mapear a incidência da doença na comunidade escolar. Os testes positivos, segundo a Secretaria Estadual da Saúde, foram identificados em escolas de 15 municípios paulistas. A pasta não informou quais seriam essas escolas nem os nomes das unidades que tiveram casos confirmados da doença.

O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, disse nesta quarta-feira, 18, que não há registro de transmissão da covid-19 nas escolas estaduais. Segundo a Secretaria da Saúde, “não houve necessidade de fechamento de nenhuma unidade”. A pasta, porém, não explicou se foi necessário fechar turmas que tiveram contato com os estudantes ou com os professores infectados.

“Estamos acompanhando tudo, estamos fazendo as testagens com a Secretaria de Saúde, não temos nenhum caso de transmissão dentro da escola. Tivemos casos, sim, dentro da nossa testagem que pega inclusive alunos que não estão frequentando a escola. São 26 casos dentro dos milhares (de testes) que já fizemos”, disse Rossieli nesta quarta-feira, durante a inauguração de um centro educacional em Perdizes, na capital paulista.

Ao falar sobre escolas particulares, que também registraram infecções, ele reforçou os cuidados necessários fora das unidades. “As pessoas parece que esqueceram que estamos em um momento de pandemia”, disse. “Uma coisa é abrir a escola, ter o aluno com segurança dentro da escola, e outra coisa é organizar festas no contraturno onde se esquece de novo a pandemia. Precisa separar isso para não trazer uma culpa que não é da escola”, completou.

Em todo o Estado, 1,4 mil escolas já retomaram as atividades – 500 delas na capital. No total, segundo a Secretaria Estadual de Educação, são atendidos 400 mil alunos. “Todas as retomadas de atividades são sempre pautadas pelas medidas de segurança em saúde, assim como nos protocolos sanitários, com o objetivo de priorizar os alunos que mais precisam de apoio, inclusive no aspecto socioemocional”, informou a pasta.

Entenda as datas de reabertura das escolas

A reabertura das escolas estaduais ocorreu em momentos diferentes em São Paulo. No dia 8 de setembro, o governo estadual deu aval para a retomada apenas de atividades extracurriculares em cidades com queda nas infecções. A capital paulista não reabriu naquele mês e outras prefeituras decidiram barrar o retorno.

Em 7 de outubro, o governo estadual deu autorização para a volta das aulas regulares, como Português e Matemática, nas escolas estaduais – dessa vez, a cidade de São Paulo optou por autorizar apenas atividades extracurriculares. A capital paulista só liberou o retorno para aulas regulares em novembro e apenas para alunos do ensino médio.