Coluna Livre com Hermano Henning

Coluna Livre com Hermano Henning

Li ontem numa reportagem publicada nesta Folha que essa história do metrô de Guarulhos vem de longe. O então governador Geraldo Alckmin já manifestara sua promessa de que a linha verde do metropolitano, que começa na estação de Vila Madalena em São Paulo e hoje termina na Vila Prudente, chegaria por aqui, passando pelo bairro da Penha, numa extensão de 14 quilômetros. Entre Penha e Guarulhos são apenas 6 quilômetros. Isso ocorreu em 2014. Essa promessa fez cinco anos!

O anúncio do governador Alckmin deixou muita gente animada. Seria a primeira ligação do metrô de São Paulo com outro município. A propaganda tucana dizia que as obras seriam iniciadas em 2016 para serem inauguradas em 2020. Inicialmente, para Guarulhos, estariam reservadas duas estações, Ponte Grande e Dutra. Beleza, não é?

A promessa, não cumprida como se viu, foi renovada na última campanha eleitoral.

João Doria, então candidato ao governo, se encarregou de deixar os eleitores felizes. E esperançosos. Quem sabe a linha guarulhense sairia do papel? Doria garantiu que sim. Ele traria o metrô pra cá.

Ao anunciar no começo da semana que as obras de extensão da Linha Verde seriam finalmente executadas, João Doria esqueceu Guarulhos. E ficou por isso mesmo.

Na terça-feira, a assessoria do governo do Estado promoveu mais um evento com a imprensa, desta vez para outro anúncio de impacto: um programa para criar um milhão de empregos nos próximos quatro anos. No meio do encontro, alguém lembrou da promessa feita em Guarulhos. Era um repórter.

Foi quando apareceu uma nova promessa: os guarulhenses podem ficar tranquilos. A cidade será incluída nos planos de extensão do metrô numa “segunda etapa”. Palavra do governador João Doria.

Você, prezado leitor de Guarulhos, acredita? Vou esperar pra ver.

Repercussão

Esperava que o assunto metrô de Guarulhos fosse agitar nossos vereadores na Câmara que, depois de três sessões sem quórum, voltaram a se reunir na terça-feira. Mas, nada. Não houve um só pronunciamento na tribuna para lembrar que, mais uma vez, a cidade havia sido deixada pra trás.

O comportamento de Doria tem reflexos importantes no panorama político local. Dizem que o governador está empenhado em interferir no processo eleitoral guarulhense. Os tucanos daqui estariam animados com a estreita ligação dele com a provável candidatura de Fran Corrêa à sucessão de Guti.

Vão ter que se cuidar. Promessas não cumpridas costumam ser cobradas nessas ocasiões.

Deixe seu Comentário