RMSP apresenta queda no índice de desenvolvimento humano

RMSP apresenta queda no índice de desenvolvimento humano

Lucy Tamborino

Entre 2016 e 2017, o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) apresentou queda na Região Metropolitana de São Paulo, o que inclui Guarulhos e mais 38 cidades, passando de 0,843 para 0,836. É o que mostram os dados atualizados do Radar IDHM, estudo que detalha os indicadores no país.

O levantamento é composto por três dimensões longevidade, renda e educação, que atingiram na região 0,834; 0,851 e 0,824, respectivamente. Sendo que no quesito educação é a melhor avaliada de todas as regiões metropolitanas e a segunda no de renda.

O estudo também demonstrou que a renda varia de acordo com sexo e raça.  Já que enquanto brancos registraram 0,863 no índice, negros 0,739 e homens somam 0,933, as mulheres obtiveram 0,703 no levantamento.

No Brasil o IDHM manteve-se praticamente estável: passou de 0,776 para 0,778. Apesar de ter sido observada uma leve queda de 0,92% no valor da renda per capita entre 2016 e 2017, que passou de R$ 842,04 para R$ 834,31 e gerou uma retração do IDHM Renda de 0,748 para 0,747, esse impacto foi contrabalanceado pelas outras duas dimensões.

O crescimento da esperança de vida, de 75/72 anos para 75/99 anos, foi o principal indicador que elevou o IDHM Longevidade de 0,845 para 0,850. Já a dimensão Educação, que avançou de 0,739 para 0,742.

No entanto, as disparidades interestaduais e regionais ainda são grandes: em 2017, o IDHM atingia 0,850 no Distrito Federal e 0,837 em São Paulo, enquanto ficava em somente 0,687 no Maranhão e 0,683 em Alagoas. Apenas no DF e nos estados das regiões Sul e Sudeste, os valores do IDHM foram superiores ao do país.

Imagem: Diogo Moreira/Governo de São Paulo

Deixe seu Comentário