Coluna Livre com Hermano Henning

Coluna Livre com Hermano Henning

É uma pena, mas a licitação para o aluguel de equipamentos para a TV Câmara de Guarulhos voltar a operar está dando tantos problemas que já deu pra desanimar. Quando tudo parecia caminhar para os finalmente houve mais um adiamento. E nada faz supor que um novo pregão marcado para o mês que vem seja bem-sucedido. Um dos concorrentes já afirmou que, em sendo passado pra trás, não vai se furtar em apresentar um recurso na justiça. E aí…

Fala o vice

O vice-prefeito Alexandre Zeitune vai dizer amanhã na TV Guarulhos, programa Espalha Fatos, como anda seu relacionamento com o prefeito Guti. É sabido que o estremecimento entre os dois havia sido superado, mas há sempre figuras interessadas em pôr abobrinhas onde elas não existem. Falou-se até numa “ação surpresa” que estava sendo preparada para o vice assumir o cargo no segundo semestre. A notícia, como todo bom boato, ficava nesse ponto sem dar detalhes. Chegou a ser publicada nestes termos na mídia local. Depois disso já houve pelo menos um encontro entre prefeito e vice. De qualquer forma é até possível que isso aconteça. Por que não? Guti pode tirar umas férias, não é mesmo? Assim sendo, o boato pode se transformar em notícia. A entrevista de Zeitune acontece ao vivo, ao meio dia, no canal três da Net.

“Intolerável”

A organização “Transparência Internacional” bateu forte ontem no ministro do Supremo Alexandre Moraes pela censura à revista Crusoé e ao site de notícias O Antagonista. Pela publicação da reportagem “o amigo do amigo…” envolvendo o presidente do STF, Dias Toffoli, os responsáveis pela publicação foram também multados em cem mil reais, embora tenham alegado que a obediência às ordens de Moraes tenha sido imediata.

Voltando à “Transparência Internacional”. A decisão é “intolerável”, diz a organização. “Fere a liberdade de imprensa e afeta a imagem internacional do Brasil”.

Há a expectativa de que se o assunto chegar ao plenário do Supremo, a decisão de Toffoli e Moraes cai por terra. E o resumo da ópera acaba sendo simples e direto. Uma mancha na biografia de Moraes, a expansão desenfreada de uma história que o ministro Toffoli por certo preferiria que tivesse alcance limitado, e a propaganda extra para a Crusoé e seu site de notícias. Não há dúvida: a Crusoé saiu ganhando.

Bolsonaro e Moro

A manifestação do presidente sobre o ato de censura chegou em boa hora. Assim como a de seu ministro da Justiça. Foram solidários com os jornalistas.

Deixe seu Comentário