Coluna Livre com Hermano Henning

Coluna Livre com Hermano Henning

Cada vez mais me convenço de que a gente deve fazer marcação cerrada nesses nossos vereadores. E exigir deles trabalho, dedicação, comprometimento. Na época de eleição eles prometem tudo. Muitos deles, depois, encostam o corpo.

Chamou atenção esta semana uma reportagem publicada por esta Folha que mereceu manchete de primeira página: “Ausência de vereadores encerrou 80% das sessões no ano passado”. A lista dos parlamentares mais ausentes é encabeçada pela vereadora do PT Genilda Bernardes, que desistiu agora de ter o “Lula” no nome. Estranhei em ver três integrantes do partido de Genilda entre os mais faltosos. Além dela, estão Mauricio Lula Brinquinho e Marcelo Seminaldo.

A bancada petista sempre foi tida como uma das mais atuantes na Câmara de Guarulhos. É a mais numerosa, tem sete dos trinta e quatro vereadores.

A lista dos quatro que mais faltaram é completada pelo solitário vereador da bancada do PCdoB, Eduardo Barreto. É a esquerda unida…

Só pra lembrar: Cada vereador custa para o contribuinte de Guarulhos, só em salário dele próprio e de seus assessores, 90 mil reais todos os meses.

E na TV?

Outra notícia da semana: Roberto Samuel informa na sua coluna que os jornalistas que prestam serviço na TV Câmara recebem salários superiores a vinte e cinco mil reais! A informação, segundo Samuel, está no portal de transparência do Legislativo guarulhense. Tenho para mim que nesses números podem estar incluídas gratificações extras além do salário, tais como férias, horas extras, licença prêmio, esse tipo de penduricalho, pois fica difícil acreditar em grana tão alta. Os menores recebimentos dos funcionários da TV, todos eles estáveis, concursados, estariam em 14 mil reais! Perto do que ganha um vereador.

Mas a dimensão espantosa da notícia não fica aí.

Já há algum tempo transita na Justiça do Trabalho um processo para redução da carga horária desse pessoal. Objetivo: reduzir as oito horas diárias para cinco! Além de trabalhar menos, o pessoal da TV Câmara quer receber a diferença de carga horária desses anos todos. Seriam contabilizadas como trabalho extraordinário. Horas extras! A decisão já foi tomada, o juiz os atendeu e eles ganharam a ação. Vai dar um bom dinheiro pra cada um.

Só um detalhe. Desde setembro do ano passado os funcionários da TV Câmara não têm o que fazer, pois a emissora está fora do ar. As oito horas diárias de ócio serão agora reduzidas para cinco…

Deixe seu Comentário