‘Queremos criar as condições necessárias para que Guarulhos volte a se desenvolver e a população tenha orgulho de viver aqui’

‘Queremos criar as condições necessárias para que Guarulhos volte a se desenvolver e a população tenha orgulho de viver aqui’

Rosana Ibanez

Em seu segundo ano à frente da Prefeitura de Guarulhos, Gustavo Henric Costa, o Guti (PSB), acredita que a cidade chega aos 458 anos com muitos motivos para comemorar, após anos de estagnação nas mais variadas áreas. Assumindo a prefeitura e uma dívida superior a R$ 7,4 bilhões, o prefeito salientou os esforços da administração municipal em diminuir os débitos ao mesmo tempo em que investimentos foram feitos e novos projetos colocados em prática, atendendo aos anseios da população.

Confira abaixo os principais pontos da entrevista exclusiva que Guti concedeu à Folha Metropolitana.

 

Folha Metropolitana – Mesmo comemorando 458 anos de fundação, Guarulhos ainda está muito longe no que diz respeito a inovação e tecnologia. Quando afirmamos isso nos referimos ao fato de principalmente ao longo dos últimos anos pouco investimento nesta área ter sido feito. O senhor acredita que os governantes de modo geral têm deixado esse assunto de lado?

Prefeito Guti – Guarulhos foi abandonada nos últimos anos em todas as áreas e não somente em inovação e tecnologia. Pegamos uma cidade quebrada, endividada e sem capacidade para a realização de novos investimentos. Até mesmo, questões básicas como saúde, educação e saneamento básico, entre outras tantas, foram esquecidas. Antes de assumirmos, criamos a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico, Tecnológico e Inovação, a nossa SDCETI, justamente por entender que este é o caminho para avançar.  No entanto, antes de dar um passo rumo ao futuro, precisamos arrumar a casa. Dar à cidade o mínimo de condições de governabilidade. Não tínhamos nem a Certidão Negativa de Débito, algo fundamental para obtermos recursos tanto do Governo Federal como de bancos de fomento no exterior. Nossa dívida chegava a R$ 7,4 bilhões, quase o dobro do orçamento de todo um ano. Ao mesmo tempo, na área de inovação fomos procurar soluções para começar a desenhar a cidade ideal. Temos projetos imediatos, mas já pensamos o que será da cidade daqui a mais de 20 anos.

 

Um dos motivos para as cidades não avançarem em inovação é que são projetos que ganham forma e geram frutos a longo prazo. Como pensar em projetos dessa forma sabendo que a população cobra ações mais imediatas como novos hospitais, solução em mobilidade, entre outros?

Não existem mágicas. Ao mesmo tempo que trabalhamos em projetos para o futuro como o Guarulhos2040, estamos resolvendo as questões do dia a dia. Não adianta pensar lá na frente se não resolvermos os problemas de agora. E a população está correta em pensar assim.

 

Durante seus dois anos de governo, Guarulhos tem dado passos importantes quanto a inovação e tecnologia e um dos melhores exemplos é a PPP da iluminação. Fale um pouco sobre o projeto e perspectiva de quando a empresa será escolhida.

A PPP da Iluminação Pública vai garantir, em curto prazo, um grande salto de qualidade tanto na iluminação pública como na inserção de Guarulhos no conceito das cidades inteligentes. Além de ampliar consideravelmente o número de pontos e instalar iluminação em LED em toda a cidade, teremos condições de avançar para termos um monitoramento do município, com a implantação de câmeras, sistema de Wi-Fi, entre outros avanços tecnológicos. E isso tudo é para daqui um a dois anos. É no curto prazo. O processo de licitação da PPP já está em andamento. O Tribunal de Contas do Estado fez alguns apontamentos, que devem ser solucionados rapidamente. Acreditamos que em poucos meses a PPP da Iluminação já será uma realidade.

E é no seu governo também que o primeiro PMI está sendo realizado. Fale um pouco sobre.

Isto é mais um exemplo de inovação. Entendemos que o Fioravante Iervolino está localizado em um ponto estratégico, de grande interesse de empresas que poderiam utilizar o espaço a partir da construção de uma Arena Multiuso. No entanto, utilizamos o instrumento chamado PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse) para dar a oportunidade para diferentes possíveis interessados em explorar o local possam apresentar os projetos. A partir daí, teremos maior clareza do que é o melhor para atender aos interesses públicos. É um formato novo, ainda pouco utilizado, que estamos implantando. Esperamos que os resultados sejam positivos para que Guarulhos ganhe um importante espaço sem a necessidade de investir dinheiro público.

 

Também temos visto uma série de agendas internacionais, em especial as últimas viagens do secretário da SDCETI, Rodrigo Barros, à Europa em busca de investimentos. O senhor acredita que Guarulhos ainda conquistará um espaço importante no exterior e será reconhecida além do aeroporto?

Trabalhamos muito para isso. A SDCETI foi criada para este fim e nós estamos sempre em busca de soluções, parcerias e investimentos no exterior. Já estivemos em diversos países da Europa, nos Estados Unidos e na China. Continuamente, estamos recebendo respostas positivas para novos acordos internacionais. Nesta semana, participei de um encontro em São Paulo da Agência de Desenvolvimento Francês, quando pude expor um plano audacioso para a implantação de um VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) em Guarulhos. Já temos uma agenda pronta para encaminhar este tema, que poderá se tornar realidade no médio prazo.

 

Na área de transportes temos visto grandes parcerias e projetos inovadores como a recente parceria com o Waze e a implantação da Zona Azul. Fale um pouco sobre os projetos.

Sim, estamos buscando o que há de melhor em termos de tecnologia para aplicar nas áreas de transportes e mobilidade urbana. A parceria com o Waze é um exemplo. Estamos seguindo o modelo da Capital, disponibilizando à empresa acesso às informações de nossas câmeras de monitoramento de trânsito espalhadas por toda a cidade. A Zona Azul, que está em fase de licitação, também garantirá um sistema muito mais inteligente para pagamento, monitoramento e controle das vagas. Muitas vezes, as coisas não acontecem no tempo que imaginamos ou que julgamos ideal. Mas temos certeza que conseguiremos ótimos resultados.

 

Quanto ao Parque Tecnológico, Guarulhos deu um salto importante e se tornou referência estadual com a parceria com o Eniac. Há a expectativa de entregar o parque ainda no seu mandato?

Já conseguimos a certificação do Parque Tecnológico junto ao Governo do Estado, a partir da parceria que estabelecemos com a iniciativa privada. O primeiro passo foi dado, já que o Parque era um tema que ficou encalhado durante várias administrações. Estabelecemos um novo modelo e pretendemos sim iniciar o processo de implantação.

 

As redes sociais foram o grande diferencial das eleições, sendo parte importante de sua campanha. Atualmente elas também têm sido muito bem utilizadas pela prefeitura na divulgação de ações e projetos. O senhor acredita que isso gera uma maior aproximação entre a população e a prefeitura?

Com certeza, hoje o cidadão se comunica diretamente com o poder público. Procuramos dar voz à população pelos mais diferentes canais disponíveis na rede social. De outro lado, divulgamos nossas ações. É uma via de mão dupla. Trata-se de um caminho irreversível. Um dia desses, perguntei para uma senhora como ela chegou à Carreta da Mamografia no Cecap para realizar o exame. Ela me respondeu que tinha sido por meio do Facebook da Prefeitura. Ou seja, estamos nos comunicando com os cidadãos. Eles estão nos ouvindo e também nos ajudando a governar, apontando possíveis erros e nos municiando com informações que nos ajudam a trilhar o melhor caminho.

 

Vimos grandes empresas se instalarem na cidade, como a American Airlines. Há o interesse de novas empresas para os próximos anos?

Sim, com certeza. Tenho ouvido de grandes empresários que eles estão com os olhos voltados para Guarulhos, porque agora existem regras definidas. Ou seja, eles podem realizar os investimentos sem o risco de a regra do jogo mudar de uma hora para outra. O CEO de uma grande rede atacadista, que inaugurou mais uma unidade na cidade recentemente, disse que havia desistido de Guarulhos porque considerava a cidade uma espécie de Venezuela, onde não se tinha a mínima noção de que poderia recuperar os investimentos. Em nossa administração, ele não só inaugurou a primeira loja no município como já tem projetada a construção de mais uma de grande porte em outra região de Guarulhos. Isso vem ocorrendo em diversas áreas, já que agora existe transparência nas relações entre governo e iniciativa privada. Até o final de nosso mandato, tenho certeza de que outras grandes empresas vão se instalar ou projetar ampliações por aqui.

 

O Governo do Estado foi um importante parceiro para muitos avanços que tivemos neste ano na cidade como o AME Mais e o acordo com a Sabesp. Como será a relação a partir de 2019? Há diálogos com o novo governador no sentido de novos benefícios para a cidade?

Defendemos que as relações entre Prefeitura e Governo do Estado devem ser republicanas. Não importam os partidos que administram, mas a população. Quem vive em Guarulhos vive no Estado de São Paulo. Tanto prefeito como governador devem ter a mesma visão. Desde o início de 2017, conseguimos restabelecer essa boa relação com o ex-governador Geraldo Alckmin e fortalecemos essa aliança com o Márcio França. Temos certeza que o próximo governador João Doria tem a mesma visão, não se negando a realizar os investimentos necessários para a cidade, até porque muitas das promessas que ele fez em campanha coincidem com nossos anseios, como a extensão da Linha 13 Jade até a região de Bonsucesso, passando pelo São João.

 

Qual o balanço que o senhor faz desses dois anos de governo?

Guarulhos é uma cidade com grande potencial de desenvolvimento, porém temos muito trabalho pela frente para recuperar os anos de abandono.
Temos um time forte e comprometido em fazer o melhor pela cidade e pela população. Nesses dois anos trabalhamos muito e os resultados já são percebidos pela população.

 

Quais as principais medidas adotadas no período?

São muitas as conquistas nestes dois primeiros anos de governo. Podemos destacar o reequilíbrio das contas públicas, já que herdamos a segunda maior cidade do Estado de São Paulo mais endividada proporcionalmente no início de 2017. Eram R$ 7,4 bilhões em dívidas, o que significava quase dois orçamentos anuais de Guarulhos. Reduzimos o número de secretarias, diminuímos sensivelmente os valores gastos em alugueis, baixamos o número de funcionários comissionados, que eram quase dois mil para aproximadamente 900, reconquistamos a Certidão Negativa de Débitos. Ou seja, Guarulhos era uma cidade quase ingovernável, já que somente o pagamento de dívidas praticamente inviabilizava a administração. No entanto, com muito empenho e trabalho, estamos chegando à metade de nosso mandato com a dívida praticamente reduzida à metade, pagamento em dia de todos os funcionários públicos, equacionamento e retomada de investimentos. Estamos concluindo o Trevo de Bonsucesso, uma obra que as administrações passadas foram incapazes de tocar em frente. Realizamos as desapropriações necessárias e entregaremos mais de 90% da parte central do complexo viário até dia 31. Não será possível entregar na totalidade devido a uma pequena área que ainda depende da liberação por parte da Justiça.

Na área da Saúde, são inúmeras conquistas, com inaugurações de duas UPAs, novos Cemegs, ampliação considerável no número de consultas médicas e atendimentos ambulatoriais, reforma do HMU, novos contratos para agilizar os atendimentos médicos, contratações expressivas de profissionais da área, entre outras.

Na Habitação, entregamos, em dois anos, 5.348 unidades, das quais 1.336 em 2018. Além disso, realizamos a primeira regularização fundiária da história da cidade, no Anita Garibaldi, processo que está sendo estendido para diversos núcleos. Em 2019 temos prevista a entrega de 256 apartamentos, de um total de 1.026 para os servidores públicos.

Na Educação foram muitos avanços. Este ano o município de Guarulhos superou a meta projetada do Ideb para o ano de 2017 de 5.8, e ultrapassou a meta prevista para 2019, que era de 6.1. Registramos 24.196 alunos matriculados em creche da rede própria e instituições parceiras, entregamos 104.738 kits de material escolar e 657.436 kg de leite em pó. Além disso, 38 escolas estão participando do programa Educa Mais, com ampliação do período de permanência escolar, de 4 para 7 horas diárias. São 131 turmas de 4º e 5º ano, 132 professores e 3.251 alunos da rede pública. E para fechar o ano, estamos realizando a primeira Bienal do Livro de Guarulhos, com 56% de custo a menos do que o realizado pelos Salões de Livro passados e com recorde de público.

 

Quanto ao IPTU, sua grande bandeira de campanha era o congelamento do pagamento. Isso será mantido para 2019?

Vamos manter o IPTU congelado para quem não tem débitos com a Prefeitura, assim como já fizemos em 2018. Este é um compromisso que estabelecemos na campanha e manteremos até o final de nosso mandato, lembrando que há descontos também para quem faz o pagamento à vista.

 

Quais serão as prioridades para 2019?

Desde o início do governo, como sempre dissemos, estabelecemos dar continuidade às obras que foram começadas na gestão anterior e foram abandonadas ou não chegaram ao fim. O Trevo de Bonsucesso é um ótimo exemplo. Apesar de não ser o projeto ideal, não poderíamos modificar ou desistir de executa-lo, já que perderíamos as verbas liberadas pelo Governo Federal. Isso faria com que perdêssemos muito tempo e a população seria penalizada. Realizamos as desapropriações necessárias e entregamos mais de 90% da obra neste ano. Para 2019, temos um plano estratégico para realizarmos muitas outras obras, além de concluir o que está em andamento.

 

O que o guarulhense pode esperar dos próximos anos?

Da nossa parte, o guarulhense pode ter a certeza que pode esperar o melhor, já que trabalhamos incansavelmente para entregar em 2020 uma cidade muito melhor do que aquela que encontramos no início de 2017. Queremos criar as condições necessárias para que Guarulhos volte a se desenvolver, para que nossa população tenha orgulho de viver aqui.

Imagem: Márcio Lino/PMG

Deixe seu Comentário