Guarulhos antecipa a Semana Estadual de Mobilização contra o Aedes Aegypti

Guarulhos antecipa a Semana Estadual de Mobilização contra o Aedes Aegypti

Da Redação

Com queda no número de casos das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti (mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus), a prefeitura antecipou as ações de combate ao vetor para a partir da próxima segunda-feira (12). A medida visa sensibilizar as pessoas que vão viajar no feriado prolongado. Em todo o estado, a secretaria Estadual de Saúde convocou todos os municípios e a população para uma grande mobilização na semana de 26 a 30 de novembro.

Em 2017 foram confirmados 391 casos de dengue, 15 casos chikungunya e nenhum de zika vírus. Até o início de outubro, foram confirmados cinco casos de chikungunya, 72 casos de dengue e nenhum caso de zika vírus. Já quanto a febre amarela a Secretaria de Saúde trabalha com os dados acumulados desde a introdução da doença no município. Portanto, de 28 de outubro de 2017 até 26 de setembro deste ano foram confirmados 61 casos, sendo 21 autóctones e 40 importados.

As intervenções educativas e para a eliminação de criadouros do mosquito serão realizadas pelas 69 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e também pelos agentes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). Dentro das atividades programadas destacam-se a caminhada que a UBS Cidade Martins promoverá no dia 12 pelas ruas do bairro com cartazes educativos e entrega de panfletos informativos no comércio da região, das 10h às 15h.

Vários pedágios educativos estão programados para acontecer na cidade neste período. Em parceria com a Secretaria de Serviços Públicos haverá uma operação cata treco na comunidade Anita Garibaldi, no dia 13. Além de promover diversas atividades como rodas de conversa, teatro, palestra e panfletagem nas ruas, várias unidades farão ações educativas em escolas como as UBS Continental, Morros, Novo Recreio, Ponte Alta, Inocoop, Marinópolis, Cumbica I, Dinamarca, Dona Luíza, Jacy, Jurema, Mário Macca, e Soimco. Outras intensificarão as ações casa a casa.

 

União de esforços para evitar a reprodução

Com o clima quente e úmido do verão paulista, o risco de proliferação do inseto aumenta. Ao longo dos anos, o Aedes aegypti se adaptou extremamente bem às condições urbanas e aperfeiçoou sua forma de reprodução. É um mosquito doméstico, vive dentro de casa e perto do homem.

Com hábitos diurnos, o mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus se alimenta de sangue humano, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer. Sua reprodução acontece em água limpa e parada, com o depósito de seus ovos pelas fêmeas em diversos criadouros. Por isso, o controle do mosquito depende do engajamento de toda a população, além dos setores públicos municipal e estadual.

A orientação da campanha é para que toda família determine o sábado como dia de combate aos focos do mosquito. Em menos de 15 minutos é possível fazer uma varredura em casa e eliminar os recipientes com água parada, ambiente favorável para procriação do Aedes aegypti.

Imagem: Márcio Lino/PMG

Deixe seu Comentário