Vereadores investigam falta de AVCB no Aeroporto de Cumbica

Vereadores investigam falta de AVCB no Aeroporto de Cumbica

Da Redação

O maior aeroporto do país pode ser lacrado por falta de segurança contra incêndios. O terminal 2 do GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, não tem o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). O aeroporto recebe mais de 30 milhões de passageiros por ano.

Metade das lojas que funcionam dentro dos terminais não conseguem renovar o alvará de funcionamento na Prefeitura porque o AVCB não foi renovado pela concessionária que administra o local desde 2012. Os vereadores da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga irregularidades praticadas pela concessionária receberam a denúncia durante reunião realizada com profissionais da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SDU) ontem.

O presidente da CEI, vereador Marcelo Seminaldo (PT), vai convocar representantes da concessionária para prestarem esclarecimentos sobre a falta do AVCB. As edificações de grande porte, com intensa circulação de pessoas devem funcionar apenas mediante condições mínimas de segurança.

O AVCB é um certificado que garante instalações adaptadas contra incêndio e pânico. O estabelecimento deve ter equipamentos de proteção como alarmes, extintores, hidrantes e saídas de emergência. O documento é obrigatório. A ausência de renovação, após o vencimento, pode gerar multas, provocar o fechamento do imóvel e invalidar apólices de seguro. Enquanto o laudo não sai do papel, o aeroporto de Guarulhos segue irregular, sem fiscalização.

 

Resposta

Em nota a Concessionária do Aeroporto Internacional de Guarulhos S.A. informou que o Terminal 2 passa por obras de modernização (retrofit), que ocorrem em fases, desde 2014, para não gerar impacto aos passageiros. Além de gerar mais comodidade, as obras também fazem parte de uma série de implementações e projetos que vêm sendo adotados para a obtenção do AVCB e todo processo é informado e atualizado, constantemente, junto ao órgão competente.

Ela destacou que a “segurança é questão prioritária para a administração do aeroporto, que conta com uma moderna infraestrutura contra incêndio para atender qualquer tipo de ocorrência em todo o sítio aeroportuário”. A concessionária informou, ainda, que “entende que o licenciamento da infraestrutura aeroportuária é de competência da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), considerando tratar-se de serviço público federal”.

Imagem: FEPESIL/Estadão

Deixe seu Comentário