Pets: Tô com fome!

Pets: Tô com fome!

Dra Elizabeth Alvim de Souza Mello
CRMV-8058

Existem vários tipos de protocolos alimentares onde podemos ser flexíveis em relação à alimentação dos animais.

A comida caseira pode ser oferecida a animais desde que seja balanceada e orientada por um médico veterinário, mas a alimentação a base de ração ainda é considerada a ideal, pois é nutritiva e hoje no mercado existem vários tipos de rações até para animais doentes.

As rações são divididas em três categorias:

– As super Premium são as melhores e se caracterizam por ter proteínas nobres da carne e uma quantidade mínima de soja.

– As Premium são rações intermediárias onde há proteína animal. Não é tão nobre como, por exemplo, rações que tenha frango vão como composição os descartes do frango como pena, bico, unhas e a quantidade de soja é maior.

– As standard são conhecidas como ração de combate onde a proteína principal é de origem vegetal como a soja.

No mercado há muitos tipos de rações com preços variados onde, muitas nos deixam a desejar em relação ao seu valor nutricional e eu sempre falo que a qualidade da ração tem relação íntima com preço, portanto quanto maior o preço melhor ela é.

Quando me perguntam o que é melhor: ração ou comida – eu como veterinária sempre opto pela ração, pois geralmente são balanceadas e dificilmente tenho problemas com a saúde nutricional ou digestiva, mas têm animais que não aceitam a ração comercializada e assim fica difícil a adaptação, então temos que recorrer à alimentação “in natura”, mas devemos tomar muito cuidado, pois o sistema digestivo dos cães e gatos é bem diferente de nós humanos.

Os alimentos que podemos oferecer a esses animais que resistem à ração são: carne, arroz, frutas, legumes e em uma porcentagem de 50% de carnes de preferência a parte muscular, nunca oferecendo o órgão como fígado, pulmão e miúdos em geral 25% de arroz e 25 % de frutas e legumes.

Finalizando, se seu animal não aceitar a ração, ou então seu organismo não se adapte a ela, não há nenhum problema, mas para que ele seja saudável deve-se oferecer uma alimentação balanceada sendo supervisionada por um profissional de sua confiança.

Imagem: Divulgação

Deixe seu Comentário