Número de pessoas mortas por acidente de trânsito supera homicídios

Lucy Tamborino

A violência que assusta a sociedade por vezes é traduzida em forma de crimes violentos, como assassinatos. Agressões, facadas e tiroteios assombram as grandes metrópoles. Pouco notado, o acidente de trânsito já foi responsável por mais mortes este ano, do que os homicídios dolosos em Guarulhos.

Enquanto no munícipio, até julho deste ano, 43 pessoas foram vítimas de homicídios dolosos – quando há intenção de matar, 61 cidadãos foram a óbito após acidentes de trânsito. Este último foi responsável por quase duas mortes por semana.

De acordo com especialistas, os incidentes contam com uma diferenciação: muitas vezes o acidente de trânsito é considerado como algo sem culpa ou responsabilidade. O que eles apontam que não procede, já que as pessoas possuem seu papel de contribuição. Dirigir alcoolizado, sem cinto de segurança ou até com o celular em mãos, são algumas situações que podem agravar e elevar mais ainda as vítimas fatais no trânsito.

Dados divulgados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), em maio deste ano, ainda apontam que os acidentes de trânsito causam cinco mortes no Brasil a cada uma hora. Entre 2008 e 2016, o total de 368.821 pessoas morreram vítimas de transporte nas estradas e ruas do país. Os desastres deste tipo, de acordo com o CFM, também já deixaram mais de 1,6 milhão de feridos nos últimos dez anos, ao custo direto de quase R$ 3 bilhões para o Sistema Único de Saúde (SUS).