Durante visita de vereadores, prefeitura mostra ações realizadas no aterro sanitário

Da Redação

Representantes da Secretaria de Serviços Públicos (SSP) receberam nesta quarta-feira (04) comissão de vereadores em visita ao aterro sanitário municipal, no Cabuçu. Durante o encontro, que durou pouco mais de uma hora, houve uma explicação geral sobre as operações no local e as ações realizadas pela prefeitura desde o deslocamento de uma célula ocorrida em 28 de dezembro.

O diretor do Departamento de Limpeza Urbana (Delurb), Maurício Malheiros de Miranda Monteiro, o engenheiro civil Alexandre Lobo de Almeida, e Reginaldo Cirino da Silva, assessor da SSP, prestaram diversos esclarecimentos sobre as ações realizadas após o incidente. Como as operações estão suspensas desde o incidente, por questões de segurança, a abertura do aterro para a comissão se deu em caráter excepcional.  

“Temos o compromisso da total transparência na prestação de informações à sociedade sobre o andamento da situação no aterro do Cabuçu. Desde o incidente, a prefeitura tem cumprido à risca as determinações da Cetesb, bem como empenhado máximo esforço para agilizar o andamento dos processos administrativo e judiciário necessários para a prosseguimento do trabalho de recuperação e reativação do serviço o mais rapidamente possível”, explicou Monteiro. O diretor citou que, logo após o incidente, a Prefeitura protocolou uma medida cautelar na Justiça para produção antecipada de provas para apurar as causas, já que nos últimos anos o aterro foi operado por pelo menos quatro empresas diferentes e só foi adquirido pela prefeitura no final de 2016.  O processo no está aguardo de designação de dia e horário para realização da perícia judicial, conforme informado aos vereadores presentes.  

Além da medida que visa dar transparência no esclarecimento do caso antes do aterro voltar a operar, a prefeitura contratou uma empresa, com alto grau de expertise e de elevada capacitação técnica, para a realização de uma retroanálise do incidente. Durante este trabalho, estão sendo observadas informações relacionadas a dados técnicos, monitoramento, licenças e operação.  Somente após esta ação, haverá a elaboração do laudo preliminar que determinará as medidas emergenciais a serem tomadas para solucionar o problema na área do aterro atingida. 

Apesar de ainda estar interditado para a disposição de resíduos, técnicos especializados continuam a realizar manutenção e monitoramento hídrico, geotécnico e da fauna local, conforme determinação da Cetesb, além da pulverização para evitar dispersão de odores.  

O incidente 

No dia 28 de dezembro de 2018, o deslocamento de uma das células do aterro sanitário municipal, no Cabuçu, sofreu deslocamento que ocasionou exposição de matéria orgânica depositada no local. Na segunda-feira (31), o Prefeito Guti decretou situação de emergência para agilizar as ações necessárias para minimizar os danos na região.