Doria corta ônibus fretado para quase 90% dos estudantes em Guarulhos

O governador do Estado de São Paulo, João Doria, participa de coletiva de imprensa, realizada no Palácio dos Bandeirantes. Local: São Paulo/SP. Data: 05/07/2019. Foto: Governo do Estado de São Paulo


Da Redação

O governador João Doria propôs uma medida que deve excluir cerca de 90% dos estudantes de escolas estaduais de Guarulhos que hoje utilizam transporte escolar de ônibus fretado. De 3,4 mil alunos que utilizam o serviço na cidade, apenas 424 devem ter o benefício mantido.

A medida, de acordo com a gestão, é consequência de adequação para alunos que não se enquadram nas regras do benefício. Para ter direito ao transporte é necessário ter menos de 12 anos e morar a mais de 2km da escola. Caso o aluno não esteja dentro desses critérios, deverá receber o passe escolar.

A ação foi criticada por pais de alunos que tiveram o benefício cortado. Eles afirmam que os filhos muitas vezes precisam passar por caminhos difíceis, incluindo locais desertos e regiões de mata, além de rodovias perigosas e trechos sem calçada. Outro ponto é a falta de linhas de ônibus, mesmo com o passe escolar, ainda há alunos que precisariam andar um longo percurso até chegar à escola. A decisão deve afetar principalmente estudantes que moram em regiões periféricas e afastadas do centro.

Guarulhos ainda possui mais um problema. Na Diretoria de Ensino Guarulhos Sul, a empresa presta o serviço de ônibus fretado sem licitação. O transporte dos alunos vem sendo prorrogado emergencialmente seguidas vezes, gerando R$ 6,5 milhões de custo por prática sem embasamento legal. A Secretaria de Educação do Estado afirmou que há uma licitação em trâmite para regularizar a situação na região.

A pasta ainda destacou que desde março, quando foi feita uma primeira adequação no transporte fretado, os alunos estão frequentando as aulas normalmente. E afirmou, porém, que alunos com mais de 12 anos e que moram em áreas afastadas ou que necessitem de algum apoio especial continuarão a ser atendidos pelo fretamento.

O corte tem atingido alunos de outras cidades da Grande São Paulo, como Suzano, Rio Grande da Serra, Ribeirão Pires e Ferraz de Vasconcelos.

Imagem: Governo do Estado de São Paulo