Direção perigosa, horário e funcionários estão entre as principais reclamações do ônibus intermunicipais

Lucy Tamborino

Os ônibus intermunicipais integrantes da frota da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) da Região Metropolitana de São Paulo, incluindo Guarulhos, tem como umas das principais reclamações do ano passado direção perigosa, horário e funcionários. Os dados fazem parte dos relatórios do Centro de Atendimento ao Cliente (CAC) e da Ouvidoria da EMTU. Os índices por cidade não são divulgados.

De acordo com o relatório, no ano passado foram registradas 321 reclamações devido a funcionários, 91 por direção perigosa e 63 por horário. “O ônibus 003 Metro Tucuruvi demora muito, chega a fazer três filas”, explica o analista de TI, de 23 anos, que preferiu não se identificar.

Ainda de acordo com ele, o micro-ônibus 591-Metrô Penha também apresenta problemas. “O micro-ônibus vai numa velocidade muito rápida, vai igual doido”, lamenta.  

Ao todo a lista de 2018 tem 1662 queixas, incluindo casos de superlotação, itinerário e aumento de tarifa, entre outros. Apesar do alto índice de reclamações, em 2017 o número foi ainda maior com 2.926 ao todo.

A EMTU é autuada de acordo com a legislação em vigor, em caso de comprovação das reclamações.

Em nota, a EMTU informou que a nova gestão da Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM) tem o compromisso de melhorar o sistema intermunicipal de ônibus. Uma medida imprescindível para isso é a nova licitação para concessão dos serviços à iniciativa privada, o que vai modernizar e aprimorar a frota e o atendimento. A licitação que engloba os 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) deve ser publicada até o fim deste semestre. 

Em paralelo a isso, a pasta determinou que a EMTU/SP intensifique as fiscalizações sistemáticas na operação das linhas de ônibus para avaliar o serviço prestado aos passageiros pelas concessionárias e permissionárias. No primeiro bimestre deste ano o número de blitze nas cinco regiões metropolitanas do estado aumentou 36% em relação ao mesmo período do ano passado, foram 4.153 ações nos dois primeiros meses de 2019 contra 3.054 em 2018. 

Nas inspeções efetuadas pelos agentes desta gerenciadora, também é verificado o estado da frota de ônibus em operação. São averiguados mais de 400 itens ligados à conservação e manutenção dos veículos. Na constatação de irregularidades relacionadas à segurança o veículo é lacrado até o devido reparo. 

Quanto ao comportamento dos motoristas, principalmente no que se refere à direção perigosa, a denúncia deve ser registrada nos canais de comunicação da EMTU/SP com informações do prefixo do ônibus, data e horário da ocorrência, para que esta gerenciadora notifique a operadora a adotar as providências em relação ao seu empregado e assim assegure a qualidade do serviço prestado à população. As concessionárias e permissionárias aplicam regularmente treinamento dos seus condutores para direção defensiva e atendimento aos passageiros do transporte metropolitano. 

Sobre a linha 003 Guarulhos (Cocaia)/São Paulo (Metrô Tucuruvi), nas mais recentes fiscalizações periódicas nesses serviços o Consórcio Internorte estava cumprindo a programação estabelecida. Novos acompanhamentos serão agendados para verificação da operação.

Em relação aos motoristas dos micro-ônibus do serviço Reserva Técnica Operacional (RTO) que operam na linha 591 Guarulhos (Jardim Paraíso)/São Paulo (Metrô Penha), a denúncia sobre direção perigosa deve ser registrada no site www.emtu.sp.gov.br/ouvidoria, informando o prefixo do veículo para as providências cabíveis.