Controle de roedores urbanos é tema de capacitação em Guarulhos

Da Redação

Especialistas do Ministério da Saúde estão em Guarulhos nesta semana para promover o segundo módulo da capacitação iniciada em maio passado sobre leptospirose, doença transmitida ao homem pela urina de ratos. No primeiro momento, foram capacitados médicos e enfermeiros das redes municipal e estadual de saúde para o manejo clínico da doença. Desta vez, o público-alvo são os agentes de saúde que atuam no serviço de desratização. Eles estão passando por um treinamento para aprimorar as ações de controle de roedores urbanos para vigilância da leptospirose.

Depois de participar de aulas teóricas no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) ontem, os agentes cumpriram uma agenda prática hoje com atividades em campo para identificar vestígios e com técnicas de aplicação de raticida. O trabalho teve início pela manhã nas imediações do córrego Guapa, localizado nas proximidades da avenida Serra da Mantiqueira e ruas Serra do Ouro e Pérola do Mar. Na parte da tarde, a ação foi realizada no entorno do Terminal de Ônibus Pimentas e nos arredores da estrada da Água Chata (perto do supermercado X).

Já amanhã acontecerá debates sobre os procedimentos de campo, avaliação do curso e discussão de proposta de trabalho para o município. A capacitação em Guarulhos é conduzida pela médica veterinária Simone Valéria Costa Pereira, consultora técnica de Vigilância de Zoonoses da Opas/OMS e da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, bem como pelo biólogo Eduardo de Masi, especialista em saúde pública e doutor em ciências pela USP. Também participaram das ações de campo três agentes de controle de endemias da Prefeitura de São Paulo.

Durante as aulas teóricas foram abordados os seguintes temas: biologia de roedores urbanos; os fundamentos e técnicas de controle da espécie – inspeção domiciliar e de vias públicas; aplicação de raticida; e os critérios de definição de áreas de risco para leptospirose. Dentro desse conteúdo programático, os especialistas falaram sobre como as espécies se reproduzem, a diferença entre rato de telhado, ratazana e camundongo, as doenças transmitidas por eles, entre outros assuntos.

Com o treinamento desta semana, o Ministério da Saúde encerra a capacitação na cidade. Desde o início do ano até o último dia 9 foram confirmados 433 casos de leptospirose no estado de São Paulo, com 63 óbitos. Em Guarulhos, foram 17 registros no mesmo período, com cinco mortes. Os dados são do Departamento de Vigilância em Saúde do município.

Fonte: Prefeitura de Guarulhos