Conseg realiza reunião para explicar saída da 5ª Cia da PM da Ponte Grande

Lucy Tamborino

Em reunião realizada nesta sexta-feira (01) representantes do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg-Sul) explicaram aos moradores da Ponte Grande os motivos da saída da 5ª Cia da Polícia Militar (PM) da região.

A saída da corporação do bairro era prevista devido a uma ação judicial de despejo, já que a gestão anterior deixou de herança um acúmulo de aluguéis atrasados. A 5ª Cia agora está alocada na rua Conceição, no Centro.

“O aluguel entre 2015 e 2016 estava atrasado, não tinha como a prefeitura arcar com o valor do aluguel e da renegociação. Nós gostaríamos de ter feito um novo contrato, mas o valor que o proprietário pediu a junta administrativa não aprovou”, explicou Julio Cesar Felício, chefe de gabinete do secretário Gilvan Passos, da Secretaria para Assuntos de Segurança Pública.  

O aluguel do prédio deveria ser arcado pelo Governo do Estado de São Paulo, mas é pago pela prefeitura atualmente. “Tem uma conversação com o governador do estado para que esses aluguéis, pertencentes a forças policiais, retornem para o estado e que a prefeitura deixe de ter esse encargo. Mas ainda está em conversação, não tem nada decidido sobre isso”, pontua Felício.  

Segundo o capitão Hélio da 3ª Cia, cada companhia aloca em média 100 policias, mesmo assim ele acredita que a mudança do bairro não gerará prejuízos para população. “Os policiais da companhia acompanham diariamente. Então vai ter a viatura, como já tinha antes fazendo o policiamento aqui”, disse.

Ainda de acordo com ele o policiamento em cada bairro é estudado e o efetivo enviado é programado de acordo com os índices criminais. “Os próprios policiais militares dão esse retorno para o comandante se está havendo alguma modificação no cotidiano relacionado ao crime e ao policiamento na área da companhia. Assim, ele faz adaptações e passa para o escalão superior para poder fazer o policiamento dar maior atenção onde tem maior índice criminal”, explica.

Para Luis Carlos Cantagessi, presidente do Conseg Sul, a localização da região é estratégica para alocação da 5ª Cia. “Operacionalmente dizendo a Ponte Grande tem uma vantagem porque une vários bairros, ela tem veias e artérias para chegar muito rápido nas ocorrências”, pontua.

Imagem: Lucy Tamborino