Moradores do Jardim Nova Canaã estão apreensivos com casos suspeitos de sarampo na região

Moradores do Jardim Nova Canaã estão apreensivos com casos suspeitos de sarampo na região

Lucy Tamborino

Moradores do Jardim Nova Canaã estão apreensivos após terem a informação de confirmação de dois casos de sarampo na região. Segundo eles, a vacinação que deveria acontecer para a região foi feita apenas na família dos doentes. A vacina teria sido negada pela Unidade Básica de Saúde (UBS) Normândia, que é a mais próxima.

“Eu fui à unidade na quinta-feira e eles só deram a vacina para minha filha de 18 anos que está dentro da faixa etária da campanha. Para mim, disseram que eu já tinha tomado as doses necessárias, mesmo eu informando que a minha vizinha estava com a doença”, afirmou uma moradora que preferiu não se identificar.

A Secretaria de Saúde afirmou que a informação não procede, porque os casos de sarampo no Jardim Nova Canaã estão sendo tratados, neste momento, como suspeitos. E que a recomendação do Ministério da Saúde e da Vigilância Epidemiológica Estadual é para fazer o bloqueio do vírus com a vacinação apenas dos contatos próximos da pessoa infectada.

A pasta ainda destacou que somente depois da confirmação do caso, por meio de exames laboratoriais analisados pelo Instituto Adolfo Lutz e Fundação Fiocruz, é que deverá vacinar todos os moradores que estão com as doses em atraso, dos oito quarteirões ao redor de onde houve a confirmação.

O esquema vacinal contra o sarampo prevê a primeira dose da vacina tríplice viral SCR, que previne contra sarampo, rubéola e caxumba, quando a criança tem um ano de idade. A segunda, chamada de reforço, é dada aos 15 meses, com a Tetra Viral, que além das três doenças anteriores, inclui a varicela. E crianças maiores de sete anos e indivíduos até 29 anos devem ter duas doses de SCR. Adultos acima de 30 anos e os nascidos a partir de 1.960 devem ter pelo menos uma dose da SCR.

Imagem: Lucy Tamborino

Deixe seu Comentário