Coluna Livre com Hermano Henning

Coluna Livre com Hermano Henning

A decisão de livrar o ex-presidente Michel Temer da cadeia era esperada. Mas não tão cedo. O habeas corpus pedido pela defesa seria julgado na quarta-feira, deu a entender o desembargador Antonio Athié. O que fez ele mudar de ideia? Seguindo comentários nos meios jurídicos, muito simples. Não se conseguia encontrar, no fim de semana, um só jurista conceituado no país que concordasse com a decisão que levou Temer para a prisão. A sentença do juiz Marcelo Bretas da 7ª Vara Criminal do Rio de Janeiro foi muito criticada. Não se sustentava. Segundo um desses juristas, o que se escreveu ali era tão genérico que “cabia em qualquer figurino”.

E agora?

O começo da semana foi movimentado. Dois assuntos mais chamaram a atenção do país. Um deles, a confissão do terrorista Cesare Battisti, confirmando finalmente que foi ele sim, que ajudou a matar os quatro cidadãos inocentes, crime pelo qual foi condenado a prisão perpétua pela justiça italiana. Battisti foi protegido pelo estado brasileiro durante os governos Lula e Dilma. Cada um deles deveria ser ouvido. E agora? Uma pergunta mais do que oportuna para o ex-ministro da Justiça de Lula, Tarso Genro, para quem Battisti nada mais era do que “perseguido político”. Acho que o Brasil nesta história, deve desculpas ao governo italiano.

O último dos assuntos fica por conta da declaração do presidente Bolsonaro que diz considerar que a tomada do poder pelos militares em 64 “não foi golpe”. Para apimentar ainda mais essa disputa ideológica que não serve ao país, nosso presidente foi além: seu Ministério da Segurança deve dar uma “comemoração apropriada” ao 31 de março.

Oi Gente!

Vi um vídeo da festa de aniversário, “oferecida pelos amigos”, da guarulhense Francislene Correa, realizada no sábado no Clube Recreativo. A festa, um churrasco com muita cerveja, contou com a animação do ex-vereador Alemão e, como esperado, teve a participação do radialista Eli Correa, sogro da aniversariante que não esconde o desejo de ser prefeita. Lá estava também o marido, o deputado federal Eli Correa Filho que falou na recepção parabenizando a esposa.

Deu pra ver que as figuras com alguma influência no meio político não apareciam no vídeo, mas um informante da coluna conseguiu anotar a presença de velhos amigos e apoiadores do prefeito Guti, provável adversário de Francislene daqui a dois anos… Entre eles, 17 vereadores da base aliada. E secretários da administração! O vice-prefeito Alexandre Zeitune também estava lá. O comando da festa foi do ativista/jornalista/político Sebastião Bispo Alemão, que, além de vereador foi presidente da Câmara e chegou a assumir interinamente a prefeitura na gestão do prefeito Jovino Cândido.

Em resumo, a impressão deixada foi a de que Guti deve pôr as barbas de molho…

Deixe seu Comentário