Administração do Hospital Stella Maris afirma que todos os salários dos profissionais estão em dia

Administração do Hospital Stella Maris afirma que todos os salários dos profissionais estão em dia

Da Redação

A administração do Hospital Stella Maris (HSM) afirmou em nota enviada à Folha Metropolitana que atualmente os salários de todos os profissionais da unidade estão em dia. Segundo a nota, eles só “ficam atrasados quando o repasse da verba da prefeitura é atrasado, comprometendo o fluxo de caixa”.

Além disso, a unidade destacou que os recursos repassados estão defasados em razão da tabela SUS que não é atualizada há 17 anos, portanto sendo insuficiente para custear as despesas do hospital. Mesmo assim, o atendimento foi mantido com recursos próprios e endividamento bancários.

O HSM destacou que os “prestadores médicos, que são regulados por contratos e não salários, serão regularizados e ainda como plano de ação para recuperação do hospital, todos contratos médicos, que possuem elevados valores contratuais firmados no passado, serão revisados entre outras medidas”.

O hospital explicou, ainda, que uma nova diretoria foi eleita para recuperar a unidade. Nos últimos três anos a nova presidência implantou novo modelo de gestão por equipe profissionalizada. Dessa forma, foram implantados  “Planejamento Estratégico, Gestão de Custos, Protocolos de  Segurança  ao  Paciente,  forte atuação  na redução de  custos e despesas, reequilíbrio de convênios e contratos, todavia, os desafios são enormes, pois a equipe de gestão encarou uma herança de um passado acumulado que apresentava um balanço anual de R$ 11 milhões de prejuízos em 2016, sendo que com dedicação, ações de melhorias e planejamento estratégico o prejuízo anual caiu para R$ 5 milhões em 2017 e continua a redução com previsão de R$ 2,5 milhões no fechamento do Balanço de 2018”.

Confira a nota na íntegra:

É do conhecimento de todos que, nos últimos anos, o mercado vem sofrendo uma forte crise político e econômica. Assim como todas as áreas importantes do País a Área de Saúde sofre reflexos desta crise, ainda mais tratando-se de uma entidade FILANTRÓPICA, SEM FINS LUCRATIVOS, mantida por freiras.
O Hospital Stella Maris, entre as Freiras irmãs de votos perpétuos e de pobreza elegeu uma nova Presidência, determinada em recuperar o hospital e trazê-lo de volta à gloria época dos anos 80 e 90 onde não se sofria intensamente a crise (memória e força de trabalho das Irmãs fundadoras Ir. Lina, Madre Gilda e Ir. Volpi).
A nova Presidência, nos últimos 3 anos implantou novo modelo de Gestão por equipe profissionalizada, com formação em excelência operacional em saúde pelo Albert Einstein, Mestrando em melhores práticas de gestão de organizações, Pós Graduação em Gestão de Negócios em Saúde, equipe totalmente integrada e obstinada em resultados que para serem implementadas requer tempo e investimento.
A equipe já implementou o Planejamento Estratégico, Gestão de Custos, Protocolos de Segurança ao Paciente, forte atuação na redução de custos e despesas, reequilíbrio de convênios e contratos, todavia, os desafios são enormes, pois a equipe de gestão encarou uma herança de um passado acumulado que apresentava um balanço anual de 11Milhoes de prejuízos em 2016, sendo que com dedicação, ações de melhorias e planejamento estratégico o prejuízo anual caiu para 5 Milhões em 2017 e continua a redução com previsão de 2,5 Milhões no fechamento do Balanço de 2018, o que prova tendência absolutamente favorável, sendo que em poucos anos o Hospital Stella Maris estará totalmente recuperado como é o desejo das Irmãs e sua Madre Superiora e Presidente!!!
É fato que o Stella Maris recebeu recursos do poder público, com a devida prestação de contas mensal de todos recursos à secretaria de Saúde, todavia, o que não foi mencionado nas matérias anteriores, é que este recuso é defasado por uma tabela SUS que não é atualizada há 17 anos, portanto, não é suficiente
Nem por isso as irmãs deixaram de atender, pois utilizaram-se de recursos próprios e endividamento bancários para poder fazer frente aos elevados custos da saúde justamente para cobrir às obras assistenciais destas religiosas comprometidas com a causa social.
Atualmente os salários de todo pessoal está em dia, e só ficam atrasados quando o repasse da verba da prefeitura é atrasado, comprometendo o fluxo de caixa.
Os prestadores médicos, que são regulados por contratos e não salários, serão regularizados e ainda como plano de ação para recuperação do Hospital, todos contratos médicos, que possuem elevados valores contratuais firmados no passado, serão revisados entre outras medidas.
Os indicadores financeiros e de metas provam que o Hospital está em recuperação, e que para atingimento desse objetivo, são necessários planos estratégicos e tempo, que o resultado aparecerá em breve e se revelará pela força de DEUS!! –
Vitória Nazareth de Oliveira – Diretora Presidente

Imagem: Pedro Lacerda

Deixe seu Comentário