Número de mortes no trânsito cresce 34% em Guarulhos

Número de mortes no trânsito cresce 34% em Guarulhos

Lucy Tamborino

Contrariando a tendência de queda no número de acidentes violentos desde 2016, Guarulhos registrou no ano de 2018 um aumento de 34% no número de mortes causadas por acidentes de trânsito, em comparação com 2017.

De acordo com os dados do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga-SP), no ano passado 156 pessoas morreram na cidade.

Os números representam ainda um cenário preocupante, já que quase ultrapassaram os índices de mortes de 2015, ano com mais óbitos nos últimos quatro anos. Em 2015 ocorreram 158 registros de óbitos e nos outros dois anos (2016 e 2017) os casos apresentaram queda, com 148 e 116 mortes, respectivamente. 

O perfil da vítima se manteve parecido nos últimos anos, sendo os pedestres os que mais morrem, seguido de pessoas em motocicletas e automóveis. Ainda, das faixas etárias estabelecidas pelo Infosiga, os jovens de 18 a 24 anos registram o maior número de óbitos, com exceção do ano de 2015, quando pessoas de 35 a 39 anos; e de 18 a 24 registraram 22 mortes cada. Só ano passado, 38 jovens de 18 a 24 anos morreram devido a acidente de trânsito, seguido de 17 casos de crianças e adolescentes até 17 anos.

Nos últimos quatro anos a porcentagem de pessoas do sexo masculino que morre devido a acidentes de trânsito são predominantes em Guarulhos, conforme os dados divulgados. A porcentagem varia entre a casa de 78% a 88%, enquanto as mulheres representam de 11% a 20% em todos os anos.      

O Infosiga-SP é um relatório que traz informações mensais sobre acidentes e óbitos em consequência de ocorrências no trânsito, em todo o Estado. O programa é baseado na triagem e tabulação de boletins de ocorrência da Polícia Civil do Estado de São Paulo, para o cálculo das estatísticas relativas a óbitos no trânsito. Para cálculo das estatísticas relativas a acidentes de trânsito com vítimas, são utilizados os dados recebidos pela Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal.

Imagem: Mayara Nascimento

Deixe seu Comentário