Concessão do Saae à Sabesp coloca fim ao rodízio de água de Guarulhos

Concessão do Saae à Sabesp coloca fim ao rodízio de água de Guarulhos

Da Redação

O prefeito Guti e o governador do Estado, Márcio França, assinaram em dezembro, no Palácio dos Bandeirantes, o contrato de prestação de serviços públicos e abastecimento de água e esgotamento sanitário do município de Guarulhos, que prevê a concessão dos serviços prestados pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Guarulhos à Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

A partir do acordo entre Município e Estado, todos os bairros da cidade estarão livres do rodízio no abastecimento de água até dezembro de 2019. De acordo com a presidente da Sabesp, Karla Bertocco Trindade, até o Natal deste ano em bairros como Pimentas e Centro já terão água todos os dias nas torneiras.

“Hoje é um dia histórico para a cidade e que vai ficar na memória de todos os guarulhenses. Começamos um trabalho sério, que vai colocar fim ao rodízio de água na cidade e proporcionar mais saúde e qualidade de vida à população, a partir do tratamento real de esgoto. Como gestor público me sinto honrado em saber que deixarei esse legado”, afirmou o prefeito Guti. “Agradeço imensamente ao governador Márcio França, pela oportunidade do diálogo com a nossa cidade, algo que nunca ocorreu nos últimos 16 anos. O governador não está transformando apenas o Estado; mas está mudando positivamente a vida de 1,4 milhão de habitantes da cidade de Guarulhos”, completou o prefeito.

Graças ao trabalho conjunto entre Sabesp e prefeitura, a rede do município passa a ser integrada a outros sistemas produtores de água, fazendo parte do Sistema Integrado Metropolitano(SIM) da Sabesp. A companhia fará ampliação nas tubulações de fornecimento de água e construirá reservatórios. “O acordo feito pela Sabesp com o município vai permitir o fim do rodízio, em 20 dias, do Centro e Pimentas.Ainda vamos melhorar a qualidade da água do Tietê com maior oxigenação da água e permitir 100% de distribuição e tratamento de esgoto para toda acidade”, disse o governador.

Em seis meses 70% da cidade estará livre do racionamento

Em até 180 dias após a assinatura,praticamente 70% de todo o município estará livre do rodízio de água, o que representa cerca de 900 mil moradores. O contrato de concessão dos serviços por 40 anos tem início imediato e prevê um período de transição na transferência pelo trabalho conjunto da Sabesp e do Saae.

A Sabesp assumirá o controle dos serviços em 1º de janeiro de 2019, quando começará a fase de operação assistida, com duração de 60 dias e apoio do Saae, para orientar e supervisionar as atividades. Na sequência, haverá o período de operação plena durante 90 dias, ainda com apoio dos funcionários do Saae, seguido da transferência completa dos serviços ao término desta etapa.

Parte do esgoto coletado seguirá para duas grandes estações de tratamento da Sabesp, localizadas em São Miguel e Parque Novo Mundo, na capital, próximas a Guarulhos. Haverá impacto direto na melhoria do Tietê. Rios como o Cabuçu e o Baquirivu-Guaçu também deixarão de receber os rejeitos brutos. O tratamento do esgoto guarulhense permitirá que o Tietê fique, em pouco tempo, com sete vezes mais oxigênio do que hoje.

“A ideia, a partir de hoje, é dar velocidade nas obras para equacionar o problema do abastecimento, como bras para ampliar a transferência de água do sistema metropolitano que, agora,com a rápida conclusão de duas obras, passa a integrar Guarulhos. Em seguida,entramos fortemente com equipes para combate às perdas de água nas redes”,afirmou a diretora-presidente da Sabesp, Karla Bertocco.

Investimentos

O investimento da Sabesp em Guarulhos será de cerca de R$ 1,7 bilhão durante o período de concessão, além do repasse de recursos complementares para que a prefeitura faça obras relacionadas ao saneamento básico, como a construção de novas moradias em bairros a serem regularizados e melhorias na drenagem.  O contrato estabelece,ainda, que a dívida de R$ 3,2 bilhões do município com a companhia seja equacionada ao longo do prazo de concessão. A fiscalização do cumprimento do contrato será feita pela Arsesp (Agência Reguladora de Energia e Saneamento do Estado de São Paulo).

Na oportunidade, Guti lembrou que assumiu o mandato, em 2017, com apenas 2% do esgoto tratado, índice que recebeu incremento de mais 10% em sua gestão, em apenas dois anos, somando atualmente 12%. O prefeito afirmou que a expectativa é de que a cidade tenha 40% do seu esgoto tratado até 2020. “Essa é a nossa meta e é para isso que estamos trabalhando incansavelmente todos os dias. Além de eliminar uma dívida de R$3,2 bilhões, ainda vamos receber mais de R$ 3 bilhões de investimentos, diretoe indireto, para o tratamento de esgoto, que ainda vai movimentar a economia local e fomentar a geração de emprego e renda na cidade.

Imagem: Márcio Lino/PMG

Deixe seu Comentário